ONU foi parcial sobre crimes de guerra de Israel, dizem EUA

Agência AFP

WASHINGTON - Os Estados Unidos acusaram o especialista da ONU Richard Falk de parcialidade nesta segunda-feira, após seu pedido de abertura de uma investigação sobre a ofensiva israelense na Faixa de Gaza contra o Hamas, sugerindo a possibilidade de que crimes de guerra tenham sido cometidos.

- Já expressamos em várioas ocasiões nossas preocupações a respeito das opiniões do relator especial (Falk) sobre este tema - declarou um porta-voz do departamento de Estado, Robert Wood.

- Concluímos que as opiniões do relator são qualquer coisa, menos imparciais - acrescentou. - Consideramos que elas são parciais, e o dissemos claramente.

Em um relatótio apresentado nesta segunda-feira no Conselho de Direitos Humanos da ONU, o relator especial sobre a situação nos territórios palestinos, Richard Falk, pediu uma "investigação de especialistas" para determinar se, dada o contexto, os israelenses eram capazes de distiguir entre alvos militares e a população civil.

- Se isso não era possível, então a ofensiva foi ilegal por natureza e constitui um crime de guerra da maior amplitude - escreveu no documento.

Os Estados Unidos sabem que não poderão impedir uma eventual investigação, reconheceu Wood. No entanto, "se esse tipo de investigação acontecer, deve ser imparcial", argumentou.