À frente do Ericsson 4, Torben Grael chega ao Rio como favorito

Jornal do Brasil

RIO - Há três anos, o maior medalhista olímpico brasileiro da vela aportou no Rio como coadjuvante da Volvo Ocean Race. Capitão do Brasil 1, iniciativa inédita de um barco do país na principal prova de vela oceânica do mundo, Torben Grael, agora, se depara com outro status. Se, em 2006, completou a disputa geral em terceiro lugar, desta vez, à frente do sueco Ericsson 4, o comandante é o principal favorito para vencer a competição. A embarcação do brasileiro é a líder após quatro etapas completadas da edição 2008/2009.

Pelo desafio de conduzir o Ericsson 4, Torben abriu mão de mais uma campanha olímpica. Contratado pelos suecos, o brasileiro não participou das seletivas para os Jogos de Pequim, no ano passado. A Volvo Ocean Race começou pouco depois da Olimpíada na capital chinesa. Torben tem cinco pódios olímpicos, dos quais dois ouros na classe Star.

"Etapa especial"

Torben ressalta a motivação por um bom resultado na chegada ao Rio, o único porto brasileiro na regata de volta ao mundo. Até a noite desta segunda-feira, o Ericsson 4 ocupava o segundo lugar, atrás do Ericsson 3, formado apenas por suecos.

Esta perna (etapa) é especial porque a chegada é no Rio. A meta é alcançar uma boa colocação para ajudar na nossa classificação geral da regata afirma Torben. Nossos rivais diretos, na soma de todas as etapas, estão atrás do nosso barco nesta perna. Por isso é ainda mais importante ter um bom resultado no Rio. Ajudará na soma de pontos final da competição.

Mesmo se completar o trecho entre Qingdao (China) e Rio na segunda colocação, o barco do brasileiro aumentará a diferença na pontuação para os principais adversários, o Puma e o Telefonica Blue, que aparecem na segunda e na terceira colocações na classificação geral.

A Volvo Ocean Race, que terminará em julho, prima pela regularidade. Das quatro etapas até agora, o Ericsson 4 venceu duas. Nas outras duas, somou um terceiro e um quarto lugares.

Além de Torben Grael, o comandante, o Ericsson 4 conta com mais dois brasileiros: João Signorini, que já disputou Jogos Olímpicos na classe Finn, e Horácio Carabelli. Eles fazem parte do grupo internacional que compõe o Ericsson 4.