Maradona se diz magoado com xingamentos da torcida do Boca

REUTERS

BUENOS AIRES - O técnico da seleção argentina de futebol, Diego Maradona, disse que está magoado com os torcedores do Boca Juniors, que o chamaram de traidor após o meio-campista Juan Román Riquelme ter renunciado à equipe portenha. Riquelme renunciou à seleção argentina na semana passada, após receber críticas a seu jogo pelo técnico Maradona.

- Me dói na alma que alguém me denomine como traidor - disse Maradona à emissora de rádio Mitre.

- As pessoas têm o direito de supor o que quiserem. Eu expliquei que convoquei Riquelme (para a eliminatória sul-americana), mas que eles entendam isso como quiserem e eu não posso fazer nada, e sim seguir o meu caminho - explicou Maradona.

O ex-jogador, que fará sua estreia em partidas oficiais como técnico da seleção no dia 28 de março no jogo contra a Venezuela, em Buenos Aires, disse que se surpreendeu com a atitude, embora compreenda o amor dos torcedores do Boca com Riquelme.

- Eu não esperava a reação das pessoas, mas não os culpo. O jogador sempre terá razão, porque é ele que dá satisfação ao torcedor. Não entrarei em uma guerra que não serve para nada - disse Maradona.

Mas como em seus tempos de jogador, Maradona redobrou a aposta e disse que de jeito nenhum deixará de ir ao seu lugar preferido, o estádio do Boca. - Como não voltarei? Eu tenho meu palco no campo no Boca - disse. - A última coisa que faria em minha vida seria ter rancor em relação às pessoas do Boca. Podem gritar o que quiserem - concluiu.