Romário volta ao futebol como dirigente do América

Rodrigo Viga Gaier, REUTERS

RIO - Romário vai voltar ao mundo do futebol este ano e atacará de dirigente do América. O atacante campeão mundial com a seleção brasileira na Copa de 1994 será coordenador de futebol do América, que está na segunda divisão carioca, informou o presidente do clube nesta terça-feira, após acordo fechado durante a madrugada.

A escolha pelo "Ameriquinha", como a equipe é conhecida no Estado, tem uma explicação passional. O pai de Romário, Edevair, que morreu no ano passado, era torcedor do "Diabo", outro apelido do América, que já foi chamado também de o segundo time de todos os cariocas.

Segundo o presidente do América, o médico Ulisses Salgado, Romário será apresentado até a Páscoa.

- É importante a vinda do Romário para nos ajudar no projeto de reerguer o América. Fechamos essa parceria com ele, o Botafogo e a Federação de Futebol do Rio, que vai dar muita alegria ao clube - disse Salgado, explicando que o Botafogo vai ceder jogadores e a federação disponibilizará estádios para treinos e atividades do time.

O subsecretário da prefeitura do Rio, Ricardo Rotemberg, um dos integrantes do projeto, acrescentou:

- Romário vai usar o seu prestígio no mercado para conseguir investidores e jogadores para levantar o América.

No ano passado, Romário viveu um nova experiência no futebol ao atuar como jogador e trabalhar como treinador do Vasco. Ele não durou muito tempo na função depois de se indispor com o então presidente do clube, Eurico Miranda, que tentou interferir na escalação do time titular montado por Romário, autor de mais de 1.000 gols na carreira.

Curiosamente, o América foi uma das principais vítimas de Romário enquanto o jogador esteve em atividade. Segundo cálculos do próprio atacante, foram 34 gols marcados contra o time do pai desde as categorias amadoras até o profissional.

O América Football Club tem sete títulos cariocas.