Com novo sistema, Piquet perderia os três títulos e Senna seria tetra

JB Online

RIO DE JANEIRO - O novo sistema que definirá o título mundial da Fórmula-1, levando em conta o maior número de vitórias durante a temporada, alteraria significativamente a galeria dos campeões. A principal mudança seria a ausência do brasileiro Nelson Piquet, que perderia seus três títulos.

Ayrton Senna seria tetracampeão mundial em vez de tri, e o inglês Nigel Mansell teria mais dois títulos. Quem mais sofreria com o sistema de vitórias seria o francês Alain Prost, que ganharia mais três títulos e perderia dois. Dois pilotos que nunca foram campeões entrariam na galeria: o inglês Stirling Moss e o francês Didier Pironi

Confira as mudanças de títulos mundiais:

1958 - Stirling Moss (ING) no lugar de Mike Hawthorn (ING)

1964 - Jim Clark (ESC) no lugar de John Surtees (ING)

1967 - Jim Clark (ESC) no lugar de Denny Hulme (NZL)

1977 - Mario Andretti (EUA) no lugar de Niki Lauda (AUT)

1979 - Alan Jones (AUS) no lugar de Jody Scheckter (AFS)

1981 - Alain Prost (FRA) no lugar de Nelson Piquet (BRA)

1982 - Didier Pironi (FRA) no lugar de Keke Rosberg (FIN)

1983 - Alain Prost (FRA) no lugar de Nelson Piquet (BRA)

1984 - Alain Prost (FRA) no lugar de Niki Lauda (AUT)

1986 - Nigel Mansell (ING) no lugar de Alain Prost (FRA)

1987 - Nigel Mansell (ING) no lugar de Nelson Piquet (BRA)

1989 - Ayrton Senna (BRA) no lugar de Alain Prost (FRA)

2008 - Felipe Massa (BRA) no lugar de Lewis Hamilton (ING)