Natação: FINA propõe mudanças e restrições aos trajes dos nadadores

JB Online

RIO DE JANEIRO - A Federação Internacional de Natação FINA divulgou nesta sexta-feira as propostas para emenda à regra da entidade que orienta a fabricação de trajes para os nadadores. A entidade reuniu membros de seus comitês executivo, técnico, legal, de treinadores e de atletas e os representantes de 16 fabricantes de material esportivo para examinar emendas ao atual 'Requerimentos da FINA para Aprovação de Trajes para Natação'.

Segundo o informe da Federação Internacional, baseados nas propostas e discussões do encontro desta sexta-feira, os membros do Bureau principal da FINA decidirão, de 12 a 14 de março, em Dubai, se aprovam as seguintes normas:

Design O traje não poderá cobrir o pescoço, não poderá passar da extensão dos ombros e não poderá passar dos tornozelos;

Material O material usado só poderá ter no máximo um milímetro de espessura; quando usado, o material tem que seguir o formato do corpo; a aplicação de diferentes materiais não pode criar o efeito de retenção do ar;

Flutuação O traje não poderá ter um efeito de flutuação maior que 100 gramas;

Construção Está proibido todo o sistema que forneça estimulação ou influência externa (ex: redução de dor, lançamento de substâncias químicas, estimulação elétrica);

Personalização Todos os modelos de trajes aprovados têm que ser confeccionados num padrão idêntico sem variações ou modificações para nadadores individualmente;

Uso O nadador só poderá usar um traje de cada vez

Controle A FINA vai estabelecer um programa independente de teste e controle. Os testes científicos serão conduzidos por uma equipe liderada pelo professor Jan-Anders Manson, do Instituto Federal Suíço de Tecnologia (EPFL) e do Laboratório de Tecnologia de Compostos e Polímeros;

Aprovação Os fabricantes podem submeter os trajes para aprovação até 31 de março de 2009.

- A FINA tem estudado o assunto com muito cuidado e junto com todas as partes interessadas e o conhecimento técnico do EPFL, chegamos ao melhor resultado possível. Com estas emendas, a FINA mostra que continua AM onitorar a evolução dos equipamentos esportivos com o objetivo principal de manter a integridade do esporte. Enquanto necessitamos estar abertos para a evolução, o fator mais importante tem que ser a preparação do atleta e as condições físicas para que eles atinjam suas performances analisou o presidente da FINA, Mustapha Larfaoui.

O presidente da Confederação Brasileira de Desportos Aquático CBDA, Coaracy Nunes Filho, faz parte do bureau principal da Federação Internacional de Natação. Ele participou da reunião sobre os trajes de natação como membro da comissão legal da FINA.