Brasil joga bem e vence a Itália por 2 a 0

Emerson Rocha, JB Online

DA REDAÇÃO - No amistoso entre as duas últimas seleções campeãs do mundo, o Brasil mostrou o porque é o único com cinco títulos da mais importante competição entre países do planeta. O time do técnico Dunga venceu a Itália por 2 a 0, nesta terça-feira, no Emirate Stadium, em Londres, e desequilibrou o duelo. Com gols de Elano e Robinho, os brasileiros agora têm uma vitória a mais na história do confronto com a Azzurra.

Antes deste jogo, as seleções estavam empatadas com 5 vitórias, 2 empates e 19 gols marcados para cada uma. Além disso, o resultado foi importante para Dunga, que vivia o fantasma de Luis Felipe Scolari. O treinador campeão em 2002 foi demitido do Chelsea, na véspera do amistoso.

O Brasil fez um primeiro tempo com mais posse de bola e, mesmo sem Kaká, apostou no talento do quarteto formado por Elano, Ronaldinho Gaúcho, Robinho e Adriano. E deu certo, já que os dois gols saíram antes da metade da etapa. Já os italianos demonstraram falhas na defesa e pouco entrosamento, mesmo tendo quase todo o time campeão do mundo, em 2006.

Jogo

Logo aos 3 minutos, Pirlo lançou o lateral Grosso, que encobriu o goleiro Júlio César para balançar a rede. Mas o auxiliar marcou o impedimento do italiano, que causou muitas reclamações.

Após o susto, o Brasil começou a sair mais para o ataque e assumir uma postura com mais posse de bola. O esquema surtiu efeito. Com uma bela triangulação, a Seleção Brasileira, abriu o placar, aos 12 minutos. Na jogada, Ronaldinho Gaúcho tocou para Elano, que tabelou com Robinho e recebeu na frente de Buffon. O camisa 7 do Brasil chutou sem defesa para o goleiro italiano.

Os brasileiros que estão presentes nas arquibancadas do estádio comemoram muito o gol. Mesmo com a vantagem no marcador, o time do técnico Dunga continuou no setor ofensivo e pressionando a Azzurra.

Aos 25 minutos veio o resultado da maior movimentação dos brasileiros. Após roubar a bola de Pirlo, Robinho pedalou na grande área, driblou o lateral Zambrotta e o zagueiro Logrottaglie antes de bater cruzado e marcar um golaço.

Com o resultado desfavorável, a Itália começou a aparecer mais no ataque. O apoiador Di Natali era o mais perigoso com dois chutes de fora da área, que assustaram o goleiro Júlio César. Mas nada que pudesse representar um aumento no rendimento italiano na partida.

Nos últimos cinco minutos do primeiro tempo, o jogo ficou concentrado no meio do campo e sem perigo para os dois goleiros, que foram para o vestiário com emoções diferentes.

Em entrevista à Rede Globo na saída do campo, o atacante Robinho disse que gostou da atuação da Seleção nesta primeira etapa.

- O time está muito bem. Se continuarmos com este toque de bola, podemos fazer mais gols - acredita.

Brasil se contenta com o placar

No segundo tempo, o técnico Marcello Lippi promoveu quatro substituições. Sairam Gillardino, Di Natale, Pepe e Montolivo para as entradas de Luca Toni, Giuseppe Rossi, Camoranesi e Perrota, respectivamente.

A Itália também modificou o esquema, já que tinha um jogador de referência na área: Luca Toni. E foi com ele a primeira jogada a chamar mais atenção. Aos 19 minutos, o atacante italiano recebeu lançamento na área, ajeitou a bola com o braço esquerdo e tocou por baixo do goleiro Júlio César. O árbitro da partida apontou para o centro do campo confirmando o gol, mas o auxiliar levantou a bandeira para avisar a irregularidade anulando o que seria o primeiro da Itália.

O Brasil começou a demonstrar falta de condicionamento físico e preferiu ficar mais cauteloso apenas no toque de bola. Com isso, os italianos começaram a apelar para a violência. Perrota, Grosso e Zambrotta receberam cartão amarelo por faltas mais ríspidas.

Mesmo um pouco melhor, a Azzurra aparecia pouco no ataque. Com a entrada do apoaidor Dossena na vaga de Pirlo, os italianos começaram a assustar mais a meta de Júlio César. Somente o atacante Luca Toni teve duas boas oportunidades, mas não conseguiu diminuir o marcador. Em uma delas, o goleiro brasileiro fez uma linda defesa após toque de primeira do italiano na pequena área.

O técnico Dunga tentou colocar o Brasil mais à frente com as entradas de Pato e Júlio Batista. Entretanto, os jogadores em campo pareciam contentes com o placar de vitória por 2 a 0.

O goleiro Júlio César representou bem a importância deste resultado.

- A Seleção foi maravilhosa. Jogamos com humildade e com muita força. Esta vitória é boa para mostrar o quanto estamos fechados e no caminho certo disse o goleiro.