Brasil Open: Silva e Zampieri entram na chave e Brasil garante recorde

JB Online

RIO DE JANEIRO - O Brasil chegou a seis jogadores na chave principal do Brasil Open 2009. Além de Thomaz Bellucci, que entrou direto, e Thiago Alves, Flávio Saretta e Ricardo Hocevar, beneficiados por wild cards, os paulistas Daniel Silva e Caio Zampieri garantiram vaga ao furar o classificatório. Nesta segunda-feira, Silva bateu o espanhol Miguel Lopes Jaen por 5/7 7/6(6) 6/3; já Zampieri anotou 3/6 7/6(5) 7/6(8) sobre João Olavo Souza, o Feijão.

Esta é a edição do torneio com maior número de brasileiros desde 2003, quando seis representantes nacionais estiveram em ação. É, também, a primeira vez desde 2001 que dois jogadores do País passam o classificatório. Na ocasião, Ricardo Mello e Francisco Costa foram os responsáveis pela façanha.

No quali de 2009, Danielzinho se mostrou um sobrevivente. No domingo, havia salvado quatro match-points contra Olivier Patience e vencido o jogo no tiebreak do terceiro set. Mas, quem pensou que o físico contaria contra ele dessa vez, acabou se enganando. O rival sofreu com o forte calor e terminou a partida exausto, sofrendo com câimbras. A disputa demorou 3h08min.

- Apesar do cansaço, eu já imaginava que poderia levar vantagem nesse aspecto porque já o havia enfrentado uma vez e a história tinha sido a mesma: jogo duro, terceiro set, calor e câimbras por parte dele - disse o jovem jogador, que contou com a torcida do irmão na arquibancada, o também tenista Rogério Dutra Silva.

- Hoje eu senti minha perna um pouco pesada e acabei jogando com um pouco menos agressividade. Por isso as trocas de bola ficaram mais longas - explicou ele, que chamou o público a participar várias vezes. - A torcida, como ontem, foi fundamental. Outro fator é que jogo muito bem aqui na Costa do Sauípe. Saibro, nível do mar, tudo isso me favorece.

Zampieri também teve um quali inesquecível. Ele havia perdido as primeiras quatro partidas do ano e buscava uma recuperação.

- Acho que agora a volta por cima está completa. Melhor impossível! Virei dois jogos que pareciam perdidos - disse o paulista logo após o jogo, ainda ofegante.

Caio abriu 3/0 no set inicial, mas tomou a virada para 3/6 e 0/3.

- Sentei aqui na cadeira e percebi que tinha perdido nove games seguidos. Alguma coisa estava errada. Mas tenho trabalhado muito a parte mental com o Leo Azevedo (novo treinador) e isso apareceu hoje - contou.

Para ilustrar o trabalho mental que vem desenvolvendo desde o começo do ano com Azevedo, Zampieri mostrou sua raquete. No grip, uma anotação do treinador para que o atleta nunca desista: "Eu quero, eu posso, eu acredito".

Sempre tentando adotar uma postura positiva, o jogador finalizou mirando sua estréia em torneios de primeira linha.

- Vamos encarar o ATP como uma oportunidade, nunca como uma pressão a mais.

Na primeira rodada, ele enfrenta o italiano Fabio Fognini, 92o do mundo. Danielzinho, por sua vez, faz um duelo de canhotos com o francês Nicolas Devilder, 64o na lista da ATP.