Vasco aposta no físico do grupo para vencer o Caxias

Márcia Vieira, Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - O Vasco busca, às 16h, contra o Duque de Caxias, em São Januário, a sua primeira vitória em casa no Campeonato Carioca. Para apagar a má impressão deixada em seu estádio, quando perdeu para o Americano por 2 a 0, o time conta com um trunfo que passou despercebido pela maioria dos vascaínos. Os atuais titulares, além de serem jovens, são mais fortes e mais altos do que os da temporada passada.

O cruzamento dos dados das duas equipes aponta que o time de Dorival Júnior é quase três centímetros maior que o anterior, com média de altura de 1,80m. E a diferença pode ser ainda maior quando os gigantes Edgar (1,91m) e Elton, (1,85m) estrearem. A média aumentaria quatro centímetros.

Perguntado se na formação do atual elenco altura e força foram levados em consideração, o treinador saiu pela tangente:

É apenas uma coincidência, Não pensei nisso quando formei o elenco. Simplesmente aconteceu comentou Dorival.

Mas é inegável que a defesa, setor que traumatizou a torcida na temporada passada, não tem lugar hoje para baixinhos. Fernando, de 1,91m, continua no time, mas Jorge Luiz, 1,85m, e Odvan, 1,80m, perdem para Titi, 1,88m. O goleiro Tiago, remanescente do grupo passado, é um dos que reconhecem esta mudança de perfil.

É um time mais alto e mais forte na bola aérea, o que ajuda bastante. Tem o Nilton, o Titi, o Léo Lima e outros jogadores de boa estatura que vão nos ajudar muito aposta o goleiro.

Mesmo sem Léo Lima, que sofreu um estiramento de grau 1 e deve ficar pelo menos 15 dias longe da bola, o Vasco não perdeu em força e altura. Em seu lugar entrou o volante Nilton, 1,84m, um dos mais fortes do time.

Com cara de mau e físico avantajado, ele e o zagueiro Titi assustam até os seus próprios companheiros.

Se tivesse que evitar uma trombada, evitaria esbarrar com Titi e Nilton. Eles são muito fortes, são dois armários disse de forma bem-humorada o lateral-direito Paulo Sérgio, um dos pulmões da equipe.

Ele é um dos jogadores mais experientes da equipe e também dos mais velozes.

O Paulo Sérgio, aerobicamente, é impressionante. Ele trabalha com uma velocidade linear de 17km/hora, enquanto a média atual dos outros jogadores é de 14km/h entrega o preparador físico Celso de Rezende.

O preparador acredita que no futebol de hoje o jogador precisa somar várias valências para ser cada vez mais competitivo. Alguns atletas têm muita força e potência e outros sobressaem em velocidade. Mas, segundo ele, para atingir o potencial é preciso ter muita disciplina e dedicação.

Fominha de treino

Celso conta que alguns atletas são tão fominhas por treinamentos que chegam até a competir entre si. Casos que ele viu de perto quando trabalhou com Triguinho, ex-Botafogo, atualmente no Santos, e Paulo Sérgio. Perguntado quem seria hoje no elenco o mais fominha, Celso nem titubeou.

É o Carlos Alberto. Tem puxado as filas dos treinos e tem me impressionado muito. Ele chegou acima do peso mas está em forma. É nítida a sua evolução física e técnica garantiu o preparador, que fez uma revelação surpreeendente. Apesar de o time ter o Nilton e o Titi, os testes comprovaram que o jogador mais forte do grupo é o Cestaro (terceiro goleiro). Por aí você vê como o futebol é complexo.