Ferrari critica o custo das modificações técnicas na Fórmula 1

Agência AFP

MADONNA DI CAMPIGLIO - Stefano Domenicali, diretor da Ferrari, criticou nesta quarta-feira o custo das mudanças técnicas na Fórmula 1, impostas no pior momento pela nova regulamentação.

Neste momento de crise, com todas as alterações aerodinâmicas, pneus slicks, e, sobretudo, o sistema de recuperação de energia cinética (Kers, segundo a sigla em inglês) exigiu um gasto duas vezes superior ao previsto.

- É o pior momento para introduzir estas mudanças, sobretudo no sistema de recuperação da energia cinética, que custou mais que dobro do previsto. Concentramo-nos nestas modificações técnicas, não na crise econômica, disse o diretor da escuderia'.

- No futuro será necessário a participação de todos os atores da Fórmula 1 em um projeto de longo prazo para que se consiga reduzir os custos, acrescentou.

Os dois pilotos da Ferrari, segundo Domenicali estão extremamente motivados.

- Felipe Massa está bem. A última temporada deixou-o mais maduro, e ele está disposto a fazer bonito este ano, disse o dirigente a respeito de seu piloto brasileiro, vice-campeão em 2008.

Já Kimi Raikkonen deve esquecer a temporada passada e reencontrar as qualidades que mostrou em 2007, quando se consagrou campeão mundial.

- Ele sempre teve uma grande capacidade de se abstrair do contexto. Ele vive em outro planeta... Meu papel é dirigi-los da melhor maneira possível, potencializar suas energias. A Ferrari é uma escuderia onde a estabilidade é dinâmica, ressaltou Domenicali.

O diretor da ''Scuderia'' lembrou que este ano a Ferrari está trabalhando sobre um projeto totalmente novo, e que a primeira série de testes foi fundamental para colher dados, que estão sendo analisados.

Estes testes prosseguirão na próxima semana em Portimão, Portugal com os pilotos rodando o máximo possível para que a equipe possa trabalhar sobre a confiabilidade do F60, finalizou.