Trabalho pesado na Cabofriense para não morrer novamente na praia

Hilton Mattos, Jornal do Brasil

RIO - O Campeonato Brasileiro ainda nem terminara e em Cabo Frio o jovem grupo comandado por Ademir Fonseca já treinava de olho no Carioca. Enquanto os clubes grandes do Rio se preparavam para férias e mudanças no elenco, a Cabofriense iniciava, na Região dos Lagos e em Belo Horizonte, a fase de preparação para a competição estadual. Sem grandes contratações, mas apostando na vontade dos jogadores de fazerem história, o time desta vez não quer deixar passar a chance de disputar pelo menos uma final de turno.

- Estivemos próximos em duas semifinais e fomos eliminados. Este ano vamos brigar para ir à final e, quem sabe, ganhar a Taça Guanabara ou a Taça Rio disse Ademir Fonseca, referindo-se aos anos de 2005 e 2006, quando o time perdeu para Volta Redonda e América, respectivamente.

Esta é a terceira passagem do treinador pela equipe. Como era ele o comandante há três anos, a derrota de 2 a 0 para os americanos continua engasgada. Para a competição deste ano, no entanto, Ademir sabe bem que não vai poder contar com nomes de peso. Trata-se do grupo mais jovem que já dirigiu desde 2002, quando despontou com o título paulista pelo Ituano.

Lidar com garotos, assegura, não é o problema. A contrapartida, segundo ele, é medida no entusiasmo dos jogadores nos treinamentos.

Estão dando o seu máximo, sempre. E você sabe que eles querem fazer um bom campeonato para arrumar uma transferência para um clube grande do Rio diz o treinador.

O atacante Fabinho, que disputou o Brasileiro pelo Cruzeiro, é uma das principais atrações. A relação com o clube mineiro, aliás, gera vantagens para a Cabofriense. Há sete anos foi firmada uma parceria que inclui empréstimo de jogadores e uso de ambas instalações. A reapresentação da Cabofriense foi no dia 5 de dezembro, e, de 12 a 23, o time ficou treinando na Toca da Raposa, concentração do clube mineiro. De 26 a 30, as atividades se dividiram entre Cabo Frio e Rio das Ostras.

Em 2008, o time se classificou para a Série C do Campeonato Brasileiro, mas abriu mão da disputa por questões financeiras. O Duque de Caxias ficou com a vaga e conseguiu a façanha de estrear este ano na Segundona.

Do grupo comandado por Ademir em 2006, continuam no clube o zagueiro João Paulo, o goleiro Flávio e o meia Tenório. O volante Da Silva, ex-Madureira, Vasco e Flamengo, é um dos reforços. Entre a garotada, a direção vê potencial no meia Juninho Acerola, de apenas 19 anos.

- Ele tem potencial para jogar em time grande conta o supervisor Edson Dias, acreditando que o garoto ganhará a posição no decorrer da competição.

A estréia será dia 25, em casa. O time base para o jogo com o Tricolor é, por ora, Flávio, Waldir, Demerson, João Paulo e Janderson; Da Silva, Felipe Dias, Tenório e Uéslei; Roberto e Fabinho.

Mais três reforços

A diretoria da Cabofriense apresentou, nesta segunda-feira, mais três reforços para a disputa do Campeonato Carioca. Os meias Ernane, ex-Vasco e Seleção Brasileira Sub-20, e Guido, ex-Friburguense, vestirão a camisa do clube pela primeira vez, enquanto o atacante Marcelinho, ex-Botafogo e Paraná, foi repatriado. Os jogadores já treinaram nesta tarde no Estádio Alair Corrêa, onde a equipe está realizando sua pré-temporada.