Argentina e Chile intensificam segurança para o Dakar

Portal Terra

RIO DE JANEIRO - Argentina e Chile desenvolvem medidas para prevenir protestos e ameaças terroristas durante o Rally Dakar, que será realizado no próximo dia 3 de janeiro. Outra preocupação é garantir a segurança dos espectadores, que ficarão muito próximos dos carros e motos.

Estima-se que cerca de 22 mil policiais atuem nas terras argentinas, enquanto 2.500 garantam a segurança no território chileno.

Nós consideramos todas as ameaças possíveis, não descartamos nenhuma. Temos um serviço de inteligência muito forte para determinar o que pode acontecer afirmou Hugo Oscar Buchanan, responsável pela equipe de segurança da Argentina.

Os organizadores do evento sabem bem de todos os riscos. As ameaças terroristas na Mauritânia por parte da Al Qaeda obrigaram a suspender a edição 2008 do Dakar, 24 horas antes da saída em Lisboa, Portugal.

No entanto, estima-se que na América do Sul os riscos de atentados serão menores, porém, estudiosos mostraram-se temerosos em relação aos danos causados ao meio ambiente no deserto chileno. O Ação Ecológica, movimento liderado pelo ex-líder universitário Luis Rendón, prometeu interromper a disputa como protesto.