Ministro aguarda Fifa para elaborar planos das cidades

Portal Terra

RIO DE JANEIRO - O ministro dos Esportes, Orlando Silva Junior, disse nesta terça-feira que até maio de 2009 o Governo Federal deverá lançar o Programa de Aceleração do Crescimento para a Copa do Mundo de 2014. O anúncio ocorrerá após a Fifa anunciar as cidades que vão sediar os jogos do Mundial, em decisão que está prevista para março de 2009.

Os preparativos para a Copa 2014 já começaram em 2008, quando o Governo Federal apresentou as garantias governamentais, que são ajustes institucionais exigidos pela Fifa.

Ainda no início deste ano, a Associação Brasileira das Indústrias de Base (Abdib) apresentará ao Governo um mapeamento das obras de infra-estrutura necessárias para a realização dos jogos. Este trabalho é parte de um termo de compromisso assinado em 2008 entre o Ministério do Esporte, Abdib e a Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

- Assim que este mapeamento for concluído, faremos um cruzamento com as obras já previstas no PAC. O que não estiver previsto será incluído no programa, disse Orlando Silva.

Segundo o ministro, o PAC priorizará obras de mobilidade urbana, mas também prevê investimentos em estradas, aeroportos e portos que deverão ter capacidade para receber transatlânticos, que poderão servir como hospedagens dos turistas.

- É preciso dar solução de transporte público coletivo, que tenha capacidade para mover milhares de pessoas que chegarão às cidades. Esse é o desafio. Por isso, o centro do PAC da Copa será a mobilidade urbana, afirmou.

De acordo com Orlando, ainda não há um orçamento definido para a Copa do Mundo de 2014 porque é necessário antes conhecer as cidades que vão sediar os jogos.

- Dependendo das cidades, o investimento será maior ou menor. A decisão do presidente Lula é investir o que for necessário para que a Copa aconteça com grande sucesso, disse.

Segundo o ministro, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, está determinado a manter todos os investimentos que serão previstos no PAC. Na última reunião ministerial, ele disse que é preciso preparar o PAC da Copa e acoplar ao plano de investimentos para o País no próximo ano.

- Estes investimentos são, inclusive, importantes como forma de manter aquecida a economia do país, disse o ministro, que trabalha com a idéia de que é necessário investir em obras que possam ficar como legado para a população brasileira.

- A realização da Copa será uma oportunidade para enfrentar problemas de infra-estrutura no País e antecipará investimentos que, mais cedo ou mais tarde, seriam necessários, disse.

As cidades candidatas, segundo ele, devem fazer parcerias com a iniciativa privada para construção e reformas de estádios de futebol.

- A Copa poderá dar oportunidade para o Brasil mudar a cultura no gerenciamento de equipamentos esportivos ao estimular maior presença do setor privado. O desafio dos estados é apresentar modelos atraentes para viabilizar a gestão privada nos estádios, afirmou.