Bruno engrossa lista de rubro-negros na torcida pelo Vasco

Júlio Calmon, JB Online

RIO DE JANEIRO - O goleiro Bruno teve trabalho para explicar o blecaute que o time sofreu enquanto vencia o Goiás, em casa, por 3 a 0, antes de permitir que os visitantes alcançassem o empate. Bruno atribuiu a falta de estabilidade da equipe à pressão em jogar no clube com a maior torcida do País.

- É claro que alguns jogadores sentem o peso de jogar no Flamengo. Jogar aqui não é fácil, não. É bem difícil. Nós representamos a maior torcida do Brasil. Quando eles cantam lá em cima, arrepia quem está no gramado. Mas, quando eles vaiam, é um problema sério. Tem que se ter muito preparo, experiência para suportar esses momentos mais complicados - ponderou o goleiro.

Bruno comentou também a necessidade de vencer a última partida do campeonato, contra o Atlético-PR, na Arena da Baixada.

- Temos que fazer a nossa parte e vencer o Atlético-PR, mesmo que jogando fora de casa e contra uma escrita incômoda (o Flamengo nunca venceu o rival no estádio, pelo Brasileiro). É claro que vamos secar nossos rivais. Mas, mesmo que o time fique fora da Libertadores, tem que ser com dignidade, com uma vitória.

O goleiro aproveitou para fazer coro com o presidente Márcio Braga e o meia Ibson, na torcida pela permanência do Vasco na Primeira Divisão.

- Tenho amigos no Vasco. É nosso principal rival, mas antes de tudo é um grande time e a sua queda para a Série B prejudicaria bastante o futebol carioca. Vou torcer para que eles fiquem conosco na Série A.