Flamengo só perdeu em casa com mais de 40 mil pessoas

Julio Calmon, Jornal do Brasil

RIO - Mal acabou o clássico, com a magra vitória por 1 a 0 em cima do Botafogo, Caio Júnior apressou-se em convocar o torcedor rubro-negro para apoiar o time na partida contra o Palmeiras, domingo. O adversário ocupa a quarta colocação, com um ponto de vantagem na briga por uma vaga na Taça Libertadores do ano que vem. Para depender apenas de seus resultados nas últimas três rodadas do Campeonato Brasileiro, vencer é fundamental. Nas palavras do treinador, o jogo é uma verdadeira decisão.

O que deveria ser um incentivo para a torcida comparecer em peso ao Maracanã pode ser o anúncio de um novo desastre. No Brasileiro deste ano, toda vez que o Flamengo vendeu uma partida como uma decisão dentro do campeonato de pontos corridos, aconteceu o pior: perdeu, até foi humilhado.

Ao todo, foram quatro vitórias, quatro derrotas e dois empates com mais de 40 mil pessoas no Maracanã, a média do Flamengo no campeonato, líder de público. Se com o estádio lotado, o time não tem se dado bem, está invicto quando o público está abaixo desse número: nove vitórias - contando com o 3 a 1 sobre o Santos, com portões fechados e um empate.

Apoiado (ou pressionado) pela torcida, é normal que a equipe ataque mais quando joga em casa. Para Caio, o time não tem se saído bem com a necessidade de agredir o adversário em busca de vitória.

Em casa temos mais dificuldades porque nossa equipe é melhor no contra-ataque. Somos os líderes em roubadas de bola comentou Caio. Quando temos que atacar o adversário, ficamos expostos. Foi o que aconteceu contra a Portuguesa.

Derrotas nos confrontos diretos

O primeiro pesadelo rubro-negro aconteceu logo na sexta rodada da competição, quando recebeu o bicampeão São Paulo com mais de 58 mil torcedores no Maracanã. Resultado: derrota por 4 a 2. Mesmo assim, não chegou a abalar a boa campanha do time, que se manteve na liderança até enfrentar o Vitória novamente em casa. Outra derrota, desta vez por 1 a 0, com 45 mil torcedores no Maracanã. Na rodada seguinte, o empate com a Portuguesa fora de casa tirou o time da primeira posição.

No fim do turno, mais duas decisões pela frente, na mesma seqüência de agora: Palmeiras e Cruzeiro. Na visita ao Parque Antártica, foi derrotado. Contra o Cruzeiro, com mais de 40 mil torcedores no Maracanã, perdeu novamente. No segundo turno, conseguiu vencer o Grêmio no Rio a única vitória nos confrontos diretos, mas com público de 31.716 , mas voltou a perder para o São Paulo, no Morumbi.

Com o Maracanã cheio, o Flamengo ainda deu outros vexames no segundo turno. No dia 11 de outubro, 81.317 pessoas viram, incrédulas, o Atlético Mineiro que ocupa apenas a 12ª posição no campeonato golear por 3 a 0. Há duas rodadas, 44 mil torcedores saíram decepcionados depois do empate em 2 a 2 com a Portuguesa.

Temos que jogar no limite. Se nos posicionarmos corretamente, com inteligência, não daremos opção para o Palmeiras contra-atacar. Às vezes, ficamos afoitos e erramos muitos passes, dando o contra-ataque para o adversário disse Juan.