Em momento dramático, Flu quer permanência na Série A como um título

Flávio Dilascio, Jornal do Brasil

RIO - No ano em que poderia sagrar-se campeão da Libertadores e, conseqüentemente, disputar o Mundial da Fifa, o Fluminense terá de se contentar com um título bem menos glamouroso, o qual pode ser conquistado nesta reta final do Campeonato Brasileiro. Trata-se da meta de se livrar do rebaixamento, tratada por todos no clube como uma verdadeira conquista. Pelo menos, é esse o atual discurso de todos os envolvidos, inclusive do presidente do patrocinador, Celso Barros, que conversou com os jogadores sobre o assunto.

Pela primeira vez conversei sobre essa situação com o grupo, pois, até então, só falava do jogo seguinte. O Celso Barros também falou isso para o time outro dia e, infelizmente, a situação é essa. Temos que tratar esses quatro jogos finais como se fossem decisões e a permanência na Série A deve ser comemorada como se fosse um título declarou René Simões.

O grupo entendeu o recado de Celso Barros de imediato.

O pensamento é esse mesmo. Escapar do rebaixamento vai ser como um título. Vamos ter pressão assim como tivemos na final da Libertadores, mas vai ser uma pressão diferente ressaltou o atacante Washington, que admitiu ter recebido proposta para voltar ao futebol japonês.

Para os jogadores, o time não merece cair para a Série B, pois a equipe é qualificada, tanto que chegou à final da Taça Libertadores. Contudo, eles reconhecem que terão de se esforçar nesta reta final para atingir a pontuação necessária para se livrar do descenso.

O grupo merece ficar na Primeira Divisão, por tudo o que passou nesta temporada, sendo que já mostrou qualidade ao chegar à final da Libertadores comentou René.

Quem esteve em campo no fatídico jogo contra a LDU no Maracanã, sabe diferencia os dois momentos do time.

Vivemos situação difícil na Libertadores, pois tivemos a oportunidade de ganhar um título, mas não conseguimos. Agora, a realidade é outra e vamos ter quatro jogos importantes, onde precisamos somar pontos frisou Junior Cesar.

O time espera ter o apoio da torcida no jogo de sábado, contra a Portuguesa. Tanto é que a diretoria reduziu os valores dos ingressos, que começam a ser vendidos a partir das 9h desta quarta-feira.

Tenho certeza de que sábado só vai comparecer ao Maracanã quem realmente ama o clube. É muito fácil ir a uma final de Libertadores, quando o time está bem. O difícil é apoiar quando está por baixo. Acredito, porém, que nossa torcida comparecerá em peso afirmou René Simões, que definiu a situação com mais uma célebre frase. Costumo dizer que eu conheço os meus amigos não quando eu dou uma festa, mas quando estou na UTI.

Rafael larga na frente

Com a suspensão de Carlinhos que recebeu o terceiro cartão amarelo contra o Cruzeiro o Fluminense tem duas opções de substituto: Eduardo Ratinho e Rafael, que largou na frente ao jogar no time titular no treino tático desta terça-feira.

Rafael não começa um jogo como titular desde o empate em 3 a 3 com o Vasco, em 23 de julho, pelo primeiro turno do Brasileiro.

O Ratinho perdeu o avô no fim de semana e está bem abalado emocionalmente, tanto que foi dispensado do jogo contra o Cruzeiro. Conversei com ele, vi que ainda está abatido e por isso optei pelo Rafael. Ambos estão sem ritmo, mas espero que me agradem como o João Paulo, no último domingo disse René.