Árbitro decide processar santista Kléber Pereira

Jornal do Brasil

SANTOS - Quando insinuou que o árbitro Elmo Alves Resende Cunha levara dinheiro do Vasco na derrota do Santos, sábado, em São Januário, o atacante Kléber Pereira não mediu o risco da acusação. Além da ameaça de punição pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), o jogador está sendo processado.

O caso foi entregue ao departamento jurídico da Associação Nacional dos Árbitros (Anaf). Elmo garante levar o episódio adiante.

Quero processá-lo por danos morais e também na Justiça Desportiva disse o árbitro.

Kléber, na saída de campo, depois da derrota por 1 a 0, com um gol de pênalti marcado por Edmundo, rasgou o verbo ao microfone da rádio Jovem Pan. Disse, entre outras coisas, que Elmo estava de bolso cheio por beneficiar o Vasco. E mais: ironizou a situação do time carioca ao sugerir que o árbitro deveria ser escalado em todas as partidas do time para livrá-lo do rebaixamento.

Nesta terça-feira, no entanto, o atacante minimizou o incidente, dizendo ter sido mal interpretado:

Algumas pessoas entenderam mal o que falei. Quando me referi a bolso cheio, quis dizer que o árbitro é bem-sucedido. Não quis dizer que ele recebe dinheiro disse Kléber.

STJD: punição de seis jogos

O lance que originou a vitória do Vasco nasceu de uma falta de Molina em Joílson, dentro da área. Elmo assinalou o pênalti, convertido por Edmundo, aos 25 minutos do segundo tempo. Foi então que tudo começou. Inconformado com a marcação da penalidade, o atacante disparou sua metralhadora giratória na direção do árbitro.

O procurador-geral do STJD, Paulo Schmitt, diz que o jogador pode ser denunciado no artigo 252 (ofender moralmente o árbitro, seus auxiliares ou qualquer outro participante do evento desportivo) do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD). A punição vai de dois a seis jogos no Brasileiro.