Chama paraolímpica iluminará o 'Ninho do Pássaro' a partir de sábado

Agência AFP

PEQUIM - Menos de duas semanas depois da cerimônia de encerramento dos Jogos Olímpicos de Pequim, a chama olímpica volta a se acessa neste sábado no Ninho do Pássaro, o estádio nacional, para os Jogos Paraolímpicos, que a China deverá dominar claramente, como em Atenas-2004.

Cerca de 4.000 atletas portadores de deficiências, procedentes de 150 países, se enfrentarão em 20 modalidades nestes XIII Jogos Paraolímpicos que duram de sábado até 17 de setembro.

Em agosto, nos Jogos Olímpicos, a China, com 51 medalhas de ouro, ficou bem além dos Estados Unidos, que obtiveram 15 a menos (36). O país mais povoado do mundo (1,3 bilhão de habitantes, entre eles 83 milhões portadores de deficiências, deverá vencer de maneira ainda mais esmagadora nos Paraolímpicos.

Sexta nos Jogos Paraolímpicos de Sydney em 2000, a China superou, pela primeira vez, todos seus adversários em Atenas em 2004, colhendo 141 medalhas, 63 delas de ouro, com a Grã-Bretanha, segunda com um total de 94 medalhas, 35 de ouro.

O lucro de 2008 poderá ser, inclusive, melhor. A China apresenta a maior delegação de sua história para os Jogos Paraolímpicos-2008 com 332 atletas (197 homens, 135 mulheres), 132 a mais que em 2004.

Grã-Bretanha, Canadá, Estados Unidos, Austrália, Alemanha, Espanha e Ucrânia lutarão por um lugar honroso.

A delegação brasileira conta com 188 atletas e vai competir em 17 modalidades. Na última Paraolimpíada, o Brasil conquistou 14 ouros, 12 pratas e sete bronzes.

O velocista sul-africano Oscar Pistorius, que fracassou em sua tentativa para se classificar para os Jogos Olímpicos com suas criticadas próteses de fibra de carbono, será sem dúvida o centro das atenções.

Ademais, cerca de 2.200 técnicos e oficiais técnicos dos países participantes, 650 árbitros e 44.000 voluntários estarão presentes em Pequim.

Com 4.000 jornalistas na capital chinesa (contra 2.500 em Atenas e 22.000 nos Jogos Olímpicos em Pequim), estes Jogos deverão se beneficiar da maior cobertura da mídia jamais vista em Paraolímpicos.

A televisão estatal chinesa CCTV retransmitirá dez horas de competição por dia, assim como a SporTV no Brasil.

Espanha e Austrália oferecerão uma centena de horas, e a BBC (Grã-bretanha) também transmitirá provas ao vivo.

As competições também estarão disponíveis no canal internet do Comitê Paraolímpico Internacional (IPC).