Barcellos admite que deixou Seleção por falta de estrutura

Portal Terra

SÃO PAULO - A Olimpíada de Pequim foi a última participação de Jorge Barcellos no comando da Seleção. O treinador acertou com o Saint Louis United, um dos times da recém-criada liga profissional norte-americana. Logo depois de ganhar uma medalha concedida pela Federação Paulista de Futebol, nesta quarta-feira, ele admitiu que a falta de estrutura do futebol feminino no País foi um dos motivos que o levaram a sair.

- Se tivéssemos campeonatos fortes nos estados, com certeza eu ficaria - afirmou o treinador depois de garantir que seu relacionamento com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) foi "ótimo" desde assumiu a equipe, em 2006. A Seleção deve ficar inativa durante cerca de um ano, já que o próximo campeonato no calendário é o Sul-Americano, ainda sem data e local confirmados.

- E daí? O que vai acontecer? Você não tem perspectiva. Não posso ficar esperando, declarou Jorge Barcellos.

Depois de penar dentro do futebol feminino durante os últimos anos, o técnico se prepara para trabalhar nos Estados Unidos, um dos países onde a modalidade é mais desenvolvida.

- É uma decisão profissional de disputar a liga, explicou o treinador, ainda com o escudo da CBF no terno.

Barcellos comandou o time no vice-campeonato do Mundial disputado na China, em 2007, e ganhou a prata na Olimpíada de Pequim. Nos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro, conquistou o ouro. De saída, ele aposta na evolução do esporte no Brasil.

- Com certeza, a tendência hoje é de crescer, mas a disparidade em relação ao futebol masculino ainda é muito grande, ponderou.

Em um de seus últimos atos como treinador da Seleção, Barcellos manifestou o desejo de retornar no futuro. Em seu contrato com o Saint Louis United, o treinador incluiu uma cláusula que proporciona sua liberação após os dois primeiros anos de compromisso.

- Ficou faltando alguma coisa, mas posso voltar para tentar resgatar isso, declarou o técnico após falar sobre o ouro que não veio em Pequim.