Banco uruguaio arrematou em leilão troféu "Golden Foot" de Ghiggia

Agência AFP

MONTEVIDÉU - O Banco da República Oriental de Uruguai (BROU) arrematou nesta quinta-feira em um leilão, por 511.000 pesos (26.573 dólares), o troféu "Golden Foot" de Alcides Edgardo Ghiggia, autor de um gol no Brasil que valeu a seu país a Copa do Mundo de 1950.

O troféu foi adquirido em nome do BROU por Winston Casal, curador do Museu do Gaúcho e da Moeda, - para ser doado ao Museu do Futebol, que é onde tem que estar -, disse o próprio arrematador à AFP.

Casal disse que o banco estatal estava interessado na permanência da peça no país.

- O importante é que estávamos tremendamente interessados que esta peça ficasse no Uruguai. Como muitas outras peças históricas, esta é uma delas, assinalou.

Ghiggia, de 81 anos, queria arrecadar 35.000 com o leilão do troféu que ganhou em Mônaco em 2006, para poder adquirir um terreno na cidade de Las Piedras, 25 km ao norte de Montevidéu, onde reside desde 1995, para sua esposa, 35.

O "Golden Foot" é um troféu cunhado em ouro com a marca do pé de Gigghia, com aproximadamente 214 gramas, em reconhecimento a um dos mais importantes gols da história, que permitiu a épica vitória do Uruguai sobre o Brasil por 2-1 na final da Copa do Mundo de 1950, que ficou conhecida como "Maracanaço".

Ghiggia é o único sobrevivente da equipe titular uruguaia que alcançou esta proeza.