Com problemas, equipe abandona Rally dos Sertões

Portal Terra

SÃO PAULO - Sem contar com a mesma sorte da temporada passada, a equipe Rally Minas não teve vida fácil na primeira parte da 16ª edição do Rally dos Sertões e, com problemas na picape L200 RS, que levava o piloto Pedro Gouvêa Júnior e o navegador Wagner de Paula, teve que abandonar a disputa na sexta das dez etapas do campeonato.

Depois de ficar no terceiro lugar da categoria Super Production e sétimo na geral, a regularidade da equipe não foi repetida em 2008, ano em que conviveram com problemas mecânicos desde as primeiras etapas e que culminaram no abandono no percurso que se iniciou em Palmas, no Tocantins, e se estendia até Balsas, no Maranhão.

Ainda buscando a recuperação na sexta etapa, que teve a especial mais longa de toda a história do evento, com 536km, os competidores tiveram algumas quebras que prejudicaram bastante o equipamento. A roda traseira esquerda do carro se desgastou e foi arrancada por um obstáculo quando faltavam apenas 23km para o final do trecho cronometrado.

Sem possibilidades de continuar, a dupla ficou parada à espera do resgate por mais de sete horas, e só chegou em Balsas na madrugada da última segunda-feira. Conformada em perder a sétima etapa para fazer reparos, a equipe teve que mudar os planos e desistir do restante da disputa após detectar sérios problemas no motor, turbina e bengala.

- A etapa do Jalapão prejudicou muito o equipamento e seria difícil recuperá-lo. Decidimos abandonar a disputa porque já não tínhamos mais chances de brigar pelo pódio. Mas sabemos que esses contratempos acontecem em qualquer rali. Agora é absorver a experiência e nos prepararmos para o ano que vem - disse Wagner.

Fora da disputa deste ano, a Rally Minas já aposta em um novo carro para a próximo temporada, na tentativa de lutar novamente pelos primeiros lugares em 2009.

- Vamos investir bastante na nossa estrutura e equipamento - adiantou Pedro, ainda lamentando o abandono.

O trecho do Jalapão, que envolve a sexta etapa do Rally dos Sertões tem se mostrado um dos mais prejudiciais aos carros da competição devido ao percurso técnico e longo, que apresenta desníveis de todos os tipos, como erosões, trial, pedras, areia pesada, travessias de riachos, valetas, entre outros. Dos 59 carros que largaram em Goiânia, na primeira etapa, apenas 42 continuam na disputa.