Pilotos do X-Fighters afirmam: pista do Rio de Janeiro exige respeito

JB Online

RIO DE JANEIRO - Circuito montado no Sambódromo é o mais difícil do calendário mundial, segundo as estrelas do motocross freestyle. Nove rampas e 10 mil toneladas de terra despejadas no Sambódromo deram luz à pista mais desafiadora do calendário do Red Bull

X-Fighters, de acordo com os pilotos do mundial de motocross freestyle, que realiza amanhã (3/5) sua segunda etapa em 2008, no

Rio de Janeiro.

As oito estrelas internacionais e os quatro brasileiros classificados para a disputa desse sábado treinaram ao longo da tarde de hoje na Sapucaí, e puderam conhecer cada nuance do circuito que ocupa toda a Praça da Apoteose. Duas grandes rampas de terra e uma seqüência de três saltos

em um percurso de 96 metros de comprimento é algo para se

respeitar, confessou o piloto espanhol Dany Torres: Felizmente,

o tempo melhorou hoje e finalmente pudemos explorar a pista.

O circuito é realmente desafiador, concordou o australiano

Robbie Maddison. Todos os participantes terão de dar duro;

ninguém pode se dar ao luxo de não levar essa pista a sério. Foi

criada pelos melhores projetistas de pistas de motocross freestyle do

mundo, e eles fizeram um trabalho espetacular. Nessa pista, vai ser

necessário arriscar para estar entre os primeiros.

O norueguês André Villa fez coro: Viajo muito e já andei em

várias pistas diferentes, mas tenho de dizer que esta aqui é

única. A competição de amanhã vai ser duríssima.

Já o americano Jeremy Stenberg ressaltou a singularidade do

circuito: Nesta pista, consegui dar três backflips [salto mortal

de costas] em seqüência não é todo dia que se consegue fazer

isso.

A dificuldade da pista acabou surpreendendo o piloto brasileiro

Jeff Mills. O campineiro de 19 anos, que não se classificou para o

evento, mas treinou nessa sexta por ser o primeiro substituto em caso

de acidente com um dos outros 12 pilotos foi, ironicamente, o

protagonista do principal acidente do dia.

Mills errou em uma das aterrissagens e, na queda, foi atingido pela

própria moto. O brasileiro ficou desacordado por alguns segundos,

mas chegou ao centro médico do Sambódromo já consciente. Por

precaução, Mills foi levado para o hospital, onde os

resultados de todos os exames neurológicos e ortopédicos foram

normais. Jeff Mills recebeu alta às 19 horas apenas com

escoriações na região cervical, com orientação de manter repouso

e uso de analgésico.

O Red Bull X-Fighters Rio de Janeiro, primeira visita da modalidade

ao Brasil, está marcado para este sábado, dia 3 de maio, na

Apoteose. A etapa carioca é a segunda de cinco paradas do campeonato

mundial, que iniciou mês passado no México e passa ainda por EUA,

Alemanha e Espanha.