Piltoso brasileiros do Red Bull X-fighters invadem universidade no Rio

JB Online

RIO - Dois dos pilotos que representarão o Brasil na edição carioca do Red Bull X-Fighters, Fred Kyrillos e Celso Aslan invadiram o intervalo dos alunos da Universidade Estácio de Sá, no Rio de Janeiro, para uma prévia do que será mostrado no próximo sábado, no Sambódromo da Sapucaí.

Os competidores surpreenderam os estudantes do campus Tom Jobim, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, e foram logo executando algumas das manobras que dispõem em seu repertório, como "cavalos de pau" ao longo de uma passarela em espiral de cinco andares de altura.

Animados com o encontro com os estudantes, os pilotos usaram também as rampas da universidade para tentar alguns saltos, andaram ao redor do pátio e em algumas áreas externas do campus, sempre acompanhados pelos olhares atentos dos alunos.

- É bem bacana poder mostrar nosso esporte para o pessoal. Ainda mais aqui, que é um lugar democrático - disse Aslan, 21 anos e que está no freestyle há cinco.

Kyrillos e Aslan serão dois dos dez competidores nacionais que tentarão fazer frente aos maiores nomes do motocross freestyle mundial que chegarão ao País nos próximos dias, como o espanhol Dany Torres, o australiano Robbie Maddison e o suíço Mat Rebeaud.

Além dos pilotos brasileiros, o francês Brice Izzo, que também estará na etapa carioca do X-Fighters, também esteve em contato com os 1.500 alunos que aproveitaram para tirar fotos e conversar com os motociclistas.

Porém, como sua moto ainda não chegou ao Brasil, Izzo ficou apenas como mais um espectador.

Sem saber da novidade que os esperava, os estudantes mostraram surpresa com a presença das motos nas dependências da universidade e a aprovação ao evento que acontecerá pela primeira vez no Brasil e irá apostar na mistura do samba com o motocross.

- Cheguei cedo para ter aula e tomei um susto com o barulho dos motores. Só depois que percebi que era uma apresentação de motos - disse Camila Rodrigues Lima, 25 anos, estudante de Comunicação Social.

Para o estudante Rodrigo Menezes, 23 anos, a performance dos pilotos foi tão surpreendente que ele até já pensa em ir ao evento que tomará conta do palco do carnaval carioca.

- Nunca imaginei que algum mortal pudesse fazer umas coisas dessas. Os caras andaram por dentro da faculdade, como se estivessem à pé. É impressionante a familiaridade deles com as motos - afirmou.

A etapa carioca do X-Fighters é a segunda de cinco do campeonato mundial, que iniciou no México e passa ainda por Estados Unidos, Alemanha e Espanha.