Maratonista denuncia poluição em Pequim, mas critica boicote aos jogos

Agência EFE

ROMA - O italiano Stefano Baldini, campeão olímpico da maratona nos Jogos Olímpicos de Atenas, esteve em Pequim para conhecer o percurso da prova deste ano e criticou o ar poluído da capital chinesa, mas se mostrou contrário ao boicote da competição.

- Basta olhar em direção ao céu para ver como o ar está sujo. Acho que o povo não tem capacidade para tomar decisões individuais - disse o italiano em entrevista ao jornal 'La Gazzetta dello Sport', que também publica em sua edição de hoje que o etíope Haile Gebrselassie está repensando sua decisão de não participar dos jogos.

Sobre o boicote aos Jogos Olímpicos de Pequim, Baldini disse que se trata de algo 'inútil' e é 'melhor vir aqui dizer o que pensamos'.

- Os Jogos são uma festa para os atletas, um momento de união. Para um atleta é um de seus grandes objetivos. Passamos anos treinando e não gosto de ouvir alguém que queria nos tirar esse sonho - disse.

O maratonista, que andou pelas ruas e conversou com moradores de Pequim, afirmou que 'o problema das minorias deve ser resolvido'.

- Entendi o conceito de propaganda. As imagens da televisão que mostram a tocha olímpica são todas favoráveis à China e contra quem protesta - disse Baldini.

Para o italiano, a maratona será um desafio entre africanos e que o percurso linear e plano permitirá uma corrida veloz.