Libertadores: Santos aposta na Vila para vencer Cúcuta

Agência EFE

MADRI - O Santos recebe nesta quarta-feira o Cúcuta Deportivo, da Colômbia, às 21h50 de Brasília, na Vila Belmiro, pela última rodada do grupo 6 da Libertadores, em busca da vitória para garantir a classificação para as oitavas.

O Peixe aposta no bom desempenho em seu estádio na edição deste ano da competição sul-americana para tentar a vitória e a vaga na próxima fase. Até agora, jogando na Vila, o time venceu o Chivas por 1 a 0 e atropelou o San José, aplicando um 7 a 0.

Se não conseguir vencer, o Santos dependerá de uma combinação de resultados com a partida entre San José e Chivas, na Bolívia. A eliminação deixará o Peixe - fora das semifinais no Paulista - sem jogar até a estréia no Brasileiro, em 11 de maio.

Mas o técnico Emerson Leão confia nos três pontos.

- Na Libertadores a equipe da casa precisa sempre fazer sua parte, ou seja, ganhar. Não há nenhum segredo. Já vencemos várias vezes na Vila e, portanto, precisamos fazer o que estamos acostumados. Não peço mais - afirma.

O único problema na escalação é a lateral-direita, já que o titular Dênis entrou em litígio com o clube.

Já classificado e com o primeiro lugar no grupo garantido, o Cúcuta joga para tentar ser a equipe de melhor campanha da primeira fase. Por isso, não pretende facilitar as coisas para o Santos.

- Foi feito um bom trabalho em nível de Copa Libertadores e tentaremos seguir somando pontos porque nos interessa ter um adversário não tão complicado na próxima fase - disse o técnico Pedro Sarmiento.

A principal arma do treinador para enfrentar o Santos é o atacante argentino Matías Urbano, que marcou três gols na vitória fora de casa por 4 a 2 sobre o San José e curiosamente comemorou imitando um 'peixe fora d'água'.

Assim como para o Santos, a Libertadores pode ser a salvação do semestre para o Cúcuta, que vai mal no Campeonato Colombiano e ocupa apenas a 12ª posição, após 13 rodadas.

Prováveis escalações:

Santos: Fábio Costa; Betão, Fabão, Domingos e Kléber; Marcinho Guerreiro, Rodrigo Souto, Rodrigo Tabata e Molina; Wesley e Kléber Pereira. Técnico: Emerson Leão.

Cúcuta: Castellanos; García, Cordoba, Portocarrero e González; Charles Castro, Amarilla, James Castro e Zapata; Macnelly Torres e Urbano. Técnico: Pedro Sarmiento.

Árbitro: Jorge Larrionda (URU), auxiliado por seus compatriotas Wálter Rial e Álvaro Díaz.