Dança do Créu e Chororô podem render punições nos gramados

JB Online

SÃO PAULO - A "dança do créu", o "Chororô" e outras comemorações "ousadas" na hora do pós gol podem estar com os dias contados nos gramados brasileiros. Quem decidirá será o juíz da partida.

O presidente da Comissão Nacional de Arbitragem, Sérgio Corrêa da Silva, orientou os árbitros de competições organizadas pela CBF a punirem os jogadores que dançarem ou fizerem gestos, provocando a torcida adversária.

Sem temer ser chamado de conservador, Sérgio Corrêa classificou a comemoração de obscena, mas garantiu que ela não será proibida pelos árbitros.

- O créu é completamente incompatível com os moldes da boa educação. Acho até que é algo obsceno. Mas sabemos que há uma permissividade para esse tipo de música na nossa sociedade - explicou.

A Comissão de Arbitragem declarou que ficará a cargo do árbitro determinar se houve provocação e ofensa aos adversários. A decisão tem como objetivo principal reduzir a violência nos gramados e nas arquibancadas.

O incidente no jogo entre Figueirense e Avaí no último domingo, que causou uma briga generalizada dentro de campo, foi o estopim para a decisão da comissão.