Berlusconi confirma permanência de Ancelotti no Milan

REUTERS

ROMA - O presidente do Milan, Silvio Berlusconi, confirmou nesta terça-feira a permanência do técnico Carlo Ancelotti no comando da equipe apesar dos resultados negativos obtidos nos últimos jogos, que tiraram o time das quartas-de-final da Liga dos Campeões e que o fizeram cair para a sexta posição no Campeonato Italiano.

Em uma entrevista ao jornal 'Corriere dello Sport' Berlusconi negou que o ciclo de Ancelotti tenha terminado e afirmou:

- Ele está indo muito vem. Caso mudemos será para melhorar. Quem poderia encontrar algo melhor para o Milan?

"Carlo fica' no Milan, confirmou Berlusconi, que, além disso, é candidato à chefia do Governo da Itália pelo partido conservador Povo da Liberdade (PDL) nas eleições gerais do país que serão realizadas em abril.

Berlusconi reconheceu que o rendimento do Milan no Italiano 'é insuficiente', mas expressou sua confiança de que a equipe ainda possa terminar o Campeonato na quarta colocação, obtendo uma vaga na Liga dos Campeões na próxima temporada. Atualmente a equipe é a sexta colocada na tabela, tendo 20 pontos a menos que a líder Inter de Milão.

Em todo caso os torcedores devem 'ficar tranqüilos', pois há o "máximo compromisso para fazer novamente um grande Milan'.

- Renovaremos, mas com prudência, paixão e bom senso, como sempre fizemos - declarou.

Perguntado sobre as razões das dificuldades do Milan, que também foi eliminado da Liga dos Campeões pelo Arsenal no início do mês, o presidente da equipe citou o 'azar de Ronaldo', que machucou o joelho esquerdo em fevereiro, o que prejudicou 'duramente' a equipe.

Berlusconi lembrou sua idéia do trio de brasileiros formado pelo meia-atacante Kaká e os atacantes Alexandre Pato e Ronaldo, mas sem este último 'tudo ficou complicado'.

O presidente do Milan, em entrevista à emissora 'Radio 24', também se referiu aos maus resultados da equipe e disse que as partidas disputadas em casa foram marcadas por 'certas condutas da arbitragem'.