Claudio Borghi não é mais técnico do Colo Colo, diz imprensa chilena

Agência EFE

SANTIAGO - O técnico Claudio Borghi entregará o cargo no Colo Colo nesta terça-feira, de acordo com notícias veiculadas pela imprensa chilena.

A decisão de Borghi se deve ao mal-estar provocado pela má disposição dos dirigentes de solucionar um conflito com os jogadores por conta dos prêmios pelas atuações na Libertadores.

Na segunda-feira, os jogadores da equipe se negaram a treinar em protesto contra os valores oferecidos pelos dirigentes do clube. Após um longo período de negociação, eles decidiram não pedir nada.

Enquanto os dirigentes ofereceram prêmios de acordo com as classificações do time às próximas fases, os jogadores pediram um incentivo por partida, além de valores mais altos.

Borghi, que ficou do lado dos jogadores e também não quis receber, também será acompanhado pela comissão técnica se deixar o clube.

A notícia vazou na véspera da viagem do Colo Colo a Buenos Aires, onde enfrenta o Boca Juniors na quinta, pelo grupo 3 da Copa Libertadores.

O treinador teria se irritado com declarações de Gabriel Ruiz-Tagle, presidente do clube, que disse ser impossível atender ao pedido do elenco. Ele também criticou o protesto de segunda, afirmando que era 'uma mancha para Colo Colo e o futebol chileno'.

Outro dirigente do clube garantiu que Borghi não entregou o cargo, enquanto alguns jogadores se negaram a falar com jornalistas.

Porém, o fato de o técnico não ter atendido a imprensa após o treino de hoje - como faz habitualmente - é um sinal de que ele realmente pode estar de saída.