União Européia diz que boicoto à Olimpíada não é resposta à repressão

REUTERS

BRDO, ESLOVÊNIA - Um boicote aos Jogos Olímpicos de Pequim deste ano como resposta à repressão da China a manifestantes do Tibet não seria a resposta correta, disse nesta segunda-feira a União Européia.

- Nós condenamos a violência, mas na questão do boicotar os Jogos, ninguém na mesa de hoje acredita que um boicote seja a resposta correta - disse o comissário de Esportes da União Européia, Jan Figel, em entrevista coletiva após reunião com os 27 ministros de Esportes do bloco e membros do Comitê Olímpico Internacional.

A China, que enviou tropas para aumentar o controle na região da capital tibetana, Lhasa, disse nesta segunda-feira que os protestos violentos de tibetanos eram organizados por seguidores do Dalai Lama que querem prejudicar os Jogos de Pequim, em agosto.

- Nenhum líder mundial pensou em boicotar os Jogos, nem mesmo o grande Dalai Lama - disse Pat Hickey, presidente do Comitê Olímpico Europeu, a jornalistas.