Imprensa paraguaia repudia atitude da torcida do Cerro Porteño

Agência EFE

ASSUNÇÃO - A imprensa paraguaia repudiou nesta quinta-feira, de forma unânime, a atitude dos torcedores do Cerro Porteño, que atiraram pedras no campo no qual foi realizada a partida contra o Cruzeiro. O jogo foi válido pela fase preliminar da Copa Libertadores, o que levou à suspensão da partida por falta de segurança.

O jogo, disputado no estádio Defensores del Chaco, de Assunção, foi suspenso pelo juiz chileno Carlos Chandía aos 24 minutos do primeiro tempo, quando o Cruzeiro vencia por 3 a 2, resultado que garantia a classificação da equipe brasileira para a fase de grupos da Libertadores.

"Dia vergonhoso' publica o 'La Nación', que afirma que quarta-feira à noite aconteceu 'uma jornada vergonhosa e negra' para o futebol paraguaio, que também destaca o fechamento do principal recinto esportivo do país.

Já o tablóide 'Crónica' optou pela manchete 'Que desastre!'. Segundo a publicação, os torcedores violentos não encontraram a melhor forma de descarregar sua frustração pela má atuação da equipe "atirando pedras no gramado'.

Por outro lado, o 'Abc Color' diz que a equipe paraguaia 'respondeu com pedras à superioridade do Cruzeiro' e adverte que o estádio Defensores del Chaco corre o risco de ficar interditado para a partida entre Brasil e Paraguai no dia 15 de junho pelas Eliminatórias para a Copa de 2010.

'O Cerro deu pena e sua torcida vergonha', publica o 'Popular', segundo o qual a equipe paraguaia 'despediu-se muito cedo da Libertadores por causa de uma atitude criminosa de alguns torcedores'.