Abertura dos Jogos Olímpicos de Pequim contará história da China

Agência EFE

PEQUIM - Um espetáculo de cerca de três horas e meia, que incluirá uma ópera tradicional chinesa e fogos de artifício, repassará os 5 mil anos de história da China na abertura dos Jogos Olímpicos de Pequim.

Estes são os detalhes que aos poucos vão sendo revelados por Zhang Yimou, o diretor de cinema mais famoso da história da China, e responsável pelas cerimônias de abertura e encerramento dos Jogos.

- Queremos criar uma solenidade com particularidades chinesas, cheias de efeitos de alta tecnologia e interação com o público - disse Zhang Yimou ao jornal 'Chongqing Economic Times'.

O primeiro ensaio geral no Estádio Olímpico construído para a ocasião, com todos os participantes vestidos com os trajes que usarão no dia da abertura dos Jogos, será feito em 10 de julho.

Apesar da grande quantidade de pessoas envolvidas na cerimônia, que será retransmitida pela televisão para todo o mundo, muitos poucos detalhes chegaram ao conhecimento do público, entre eles o segredo fundamental: como o fogo olímpico acenderá a pira, e quem terá a honra de ser o último a portar a tocha.

Segundo Jiang Xiaoyu, vice-presidente do Comitê Organizador de Pequim 2008 (BOCOG, sigla em inglês), a China não pretende produzir a maior e melhor cerimônia de abertura da história dos Jogos, mas quer que ela seja espetacular.

Por isso Pequim recorreu ao talento de Zhang Yimou, diretor de filmes como 'O Clã das Adagas Voadoras', que já montou anteriormente grandes espetáculos ao ar livre e será assistido por outros mestres reconhecidos internacionalmente, como o cineasta americano Steven Spielberg.