Ciclista alemão é suspeito de ter consumido anfetaminas

Agência EFE

BERLIM - O ciclista alemão Stefan Schumacher, medalha de bronze no último Mundial de Ciclismo de Stuttgart, está sob suspeita de ter consumido anfetaminas.

Os testes de sangue feitos pela Polícia após o acidente de carro sofrido por Stefan uma semana depois do campeonato apontam que o ciclista não havia consumido somente álcool em excesso, como também anfetaminas.

- Não tenho a mínima idéia de como chegaram ali (as anfetaminas). Não posso dizer nada além disso, embora reconheça que é uma justificativa fraca. A única coisa que sei com toda certeza é que não consumi drogas conscientemente - disse hoje o ciclista.

O acidente, no qual o carro de Stefan se chocou contra a cerca de um jardim, ocorreu em 7 de outubro, uma semana depois do Mundial de Stuttgart, no qual o italiano Paolo Bettini ficou com o título.

Stefan Schumacher, da equipe Gerolsteiner, que anunciou que abandonaria o patrocínio do ciclismo após o fim da atual temporada, depois dos repetidos escândalos de doping, já tinha apresentado testes de sangue problemáticos antes da corrida.

No final de novembro, foi o próprio Stefan Schumacher quem apresentou os resultados dos testes de sangue de seu acidente, nos quais foi provado o excesso de álcool mas não a presença de anfetaminas.

O caso dificilmente será catalogado como doping, pois o teste não foi feito de acordo com os regulamentos da União Ciclista Internacional (UCI).

A Federação Alemã de Ciclismo divulgou hoje mesmo que Stefan Schumacher não feriu as normas de doping no esporte.

As anfetaminas não estão na lista de substâncias proibidas da Agência Mundial Antidoping (Wada) caso sejam consumidas fora de competição.