Medicina chinesa não será usada em Jogos de 2008 por causa de doping

Agência EFE

PEQUIM - Os atletas que pedirem atendimento médico durante os Jogos Olímpicos de 2008, em Pequim, não serão tratados em caso algum com medicina tradicional chinesa para evitar problemas com os exames antidoping.

- Isto não significa necessariamente que este tipo de medicina contenha substâncias proibidas. Como outros países anfitriões não a usaram antes escolhemos não usá-la também - declarou Dai Jianping, subdiretor do departamento de serviços do Comitê Organizador dos Jogos de 2008 (BOCOG), à agência "Xinhua".

Segundo Dai, durante os Jogos Olímpicos, como qualquer grande evento internacional, será aplicada a medicina ocidental apesar de também serem freqüentes os tratamentos tradicionais chineses que não requerem o uso de remédios, como massagens e acupuntura.

Por outro lado, Dai informou que a Vila Olímpica contará com uma policlínica de 3 mil metros quadrados capacitada para realizar ressonâncias magnéticas, fisioterapia e tratamento dentário de forma gratuita e durante 24 horas em qualquer dos 16 mil atletas presentes no evento.

Durante os Jogos Olímpicos, Pequim contará com 28 hospitais e 219 estações médicas com 3.000 voluntários, a maior parte estudantes de medicina treinados para oferecerem atendimento médico profissional.