Kaká quer ser pastor após encerrar a carreira

Agência EFE

MILÃO - O meio-campista Kaká, do Milan, pretende se tornar pastor evangélico depois de encerrar a carreira como jogador de futebol. O comentário foi feito pelo craque brasileiro à revista americana GQ.

- Eu gostaria muito, mas será um longo caminho. É preciso estudar teologia, fazer um curso, se aprofundar no estudo da Bíblia - comentou.

Kaká freqüenta a Igreja Renascer em Cristo. A Igreja, fundada por Estevão Hernandes, e por sua mulher, Sônia, ficou mais conhecida com a prisão de seus dois líderes, em Miami, por tentarem entrar nos Estados Unidos com uma quantia em dinheiro maior do que a permitida, em dezembro de 2006.

O brasileiro afirmou algumas vezes que ele e a mulher, Caroline Celico, se casaram virgens após vários anos de namoro, seguindo um dogma religioso. - Na sociedade atual, não é fácil aplicar as coisas escritas há milhares de anos. Mas esse é o dever de um bom pastor, atualizar as doutrinas da Bíblia - afirmou.

O meia aproveitou para negar que tenha se tornado evangélico após escapar da morte aos 18 anos, quando quase se afogou numa piscina.

- Cresci com a educação da Bíblia. Esse incidente aconteceu em 2000, meu pescoço virou e fraturei a sexta vértebra cervical - explicou.

Aos 25 anos e talvez vivendo a melhor fase da carreira, Kaká se mostra humilde e diz que ainda tem muito a melhorar. - Sei que estou entre os melhores, mas não alcancei o máximo. Saber jogar ao futebol é um dom, nascemos com ele. Nós, jogadores, não somos especiais, acontece com qualquer profissão. Mas é preciso se dedicar.