Para Serra, impacto econômico da Copa é indiscutível

Portal Terra

ZURIQUE - O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), afirmou em Zurique que o impacto que a Copa do Mundo de 2014 vai trazer ao Brasil e especificamente a São Paulo é indiscutivelmente positivo.

- Vem muita gente de fora. E isso injeta recursos no País. Por outro lado, há o efeito psicológico, de prazer. Que agrada a população do país anfitrião. São ganhos não estritamente econômicos, mas são ganhos importantes. Proporcionar uma Copa no Brasil significa proporcionar satisfação para o povo brasileiro e isso pode não se medir em números. Mas é inegável que é algo positivo.

Nome forte do PSDB para a corrida eleitoral em 2010, Serra considera viável o seu partido ocupar a presidência da República durante a Copa do Mundo, ainda que insista que é muito cedo para se falar sobre o assunto.

Somente depois de mais de uma hora de conversa com jornalistas em Zurique, ele aceitou tocar no assunto. Ainda assim foi bastante breve. Primeiro, disse que ainda era muito cedo para se falar nesse assunto. "Estou há apenas 10 meses no governo do Estado". Mais à frente, disse que o PSDB estará unido na disputa, descartando um enfrentamento com o governador mineiro Aécio Neves, também interessado na indicação do partido.

- O PSDB estará unido. Eu e o Aécio estaremos juntos em todas as questões importantes para o País - disse, momentos depois de ser cumprimentado pelo governador mineiro no saguão do hotel onde os dois estão hospedados, enquanto aguardam o anúncio da Fifa de que o Brasil sediará a Copa do Mundo de 2014.

Mais cedo, Aécio Neves também falou em união e disse que o partido aprendeu com as últimas duas derrotas na disputa da presidência da República.

- O PSDB estará unido, até porque tem juízo. Já apanhamos tanto, perdemos duas eleições seguidas. O PSDB não vai entrar em aventura. O candidato do PSDB vai ser o que demonstrar naturalidade eleitoral e capacidade de construir alianças - disse.