Platini pergunta por Pelé e brinca com Romário

Portal Terra

RIO - A chegada é discreta. O caminhar malandreado contrasta com o traje social e o sobretudo. Depois do check-in na recepção do hotel Baur au Lac, avisa: "desço em cinco minutos". Promessa cumprida. Pouco depois de chegar à cidade Suíça de Zurique, onde participará da escolha da sede da Copa do Mundo de 2014, o ex-craque francês Michel Platini conversa com todos os presentes no saguão. Não economiza bom-humor e fala, entre outros assuntos, sobre Pelé, Romário, Zico e Maracanã.

- Onde está o Pelé? - questiona Platini. É informado de que o Rei não foi convidado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e, no dia do anúncio da Fifa, estará na Alemanha como garoto-propaganda de uma empresa holandesa fabricante de grama sintética. - Então é um problema interno. Os seres humanos... - lamenta.

Em seguida, o francês ouve que o outro jogador brasileiro autor de mil gols na carreira (segundo contagem pessoal) estará na festa. Em seguida, descobre que estão falando de Romário.

- Vocês brasileiros acho que têm algum problema com a matemática - brinca, e começa a ponderar. - Para conseguir mil gols, um jogador tem que marcar uma média de 70 por ano atuando por 15 temporadas. Não é fácil. Lá no Brasil se conta também os gols marcados nas categorias de base?

E também encerra sozinho a polêmica.

- Eu respeito o Romário. Foi um grande jogador.

É a vez de Platini colocar um novo ex-craque brasileiro na roda. "Sabem, dias atrás estive com Zico na Turquia. No campo do Fernebahce (clube treinado por Zico), cada um cobrou e tentou defender um pênalti. Ao final, trocamos de paletó. Foi muito legal - contou Platini, sem informar o placar final.

No Mundial do México, a França eliminou o Brasil nas quartas-de-final - durante os 90 minutos de jogo, placar de 1 a 1, sendo que Zico perdeu um pênalti no segundo tempo. Na decisão por pênaltis, Platini desperdiçou sua cobrança, Zico finalmente marcou, mas os europeus levaram por 4 a 3.

Por fim, o ex-jogador francês dá seu palpite sobre o estádio que não poderá ficar de fora da Copa do Mundo de 2014.

- Não mexam no Maracanã! Vocês sabem que eu nunca perdi lá, não é?

No dia 30 de junho de 1977, Brasil e França ficaram no empate por 2 a 2 em partida amistosa no então maior estádio do mundo.

Hoje presidente da Uefa, entidade que administra o futebol europeu, Platini é um dos 23 membros do Comitê Executivo da Fifa. Por isso, terá direito a voto na escolha da sede da Copa do Mundo de 2014, que tem o Brasil como candidato único. A decisão será anunciada por volta das 12h30 (de Brasília).