Maradona questiona 'grandeza' de Pelé, Beckenbauer e Platini

Agência EFE

BUENOS AIRES - O craque argentino Diego Maradona criticou novamente o presidente da Fifa, o suíço Joseph Blatter, e colocou em dúvida a "grandeza" de Pelé, de Michel Platini e de Franz Beckenbauer, aos quais acusou de não defenderem os interesses dos jogadores.

Em entrevista transmitida pela emissora colombiana RCN, Maradona também criticou a "falta de fome de glória" da atual seleção argentina, ao contrário da que venceu a Copa de 1986 e da qual ele participou.

- Caso tivesse abraçado Blatter seria da família da Fifa, mas seria um filho da p... Estaria do lado de Pelé, de Platini e de Beckenbauer - declarou o argentino.

Ao criticar seus ex-colegas, Maradona disse que "Platini é o chefe mafioso da Uefa", o brasileiro Pelé "defende a Fifa" e Beckenbauer "conseguiu para a Alemanha a sede da Copa do Mundo".

Segundo o craque argentino, Pelé, Platini e Beckenbauer não defendem os interesses dos jogadores do mundo.

- Todos (Pelé, Platini e Beckenbauer) alcançaram lucro, mas isto é triste. Caso não defendam os que precisam de defesa, não são tão grandes. Querem ter mais um corrupto na família, mas não me interessa - declarou.

Maradona, que no dia 30 de outubro completa 47 anos, também questionou a seleção argentina que lidera as Eliminatórias para a Copa de 2010 após duas rodadas.

- O problema (da seleção de Alfio Basile) é a falta de fome de glória. Cada vez que tenho a oportunidade de conversar com os jogadores digo a eles: a fome de glória não é comprada, a fome de correr atrás da bola não morre nunca, é necessário respeitá-la - encerrou.