Kaká se torna embaixador do Futebol Especial

Ricardo Setyon, Portal Terra

XANGAI - Uma reunião realizada em Xangai, onde se realizam as Olimpíadas Especiais, para atletas com quoficiente intelectual até 70, selou a criação por parte da Fifa, de um novo órgão para jogadores com deficiências intelectuais.

O novo braço da entidade chama-se Special Olympics Global Football, e já conta com o apoio, como embaixadores, de dois brasileiros: o jogador Kaká, do Milan, e o técnico Carlos Alberto Parreira, atualmente no comando da seleção da África do Sul.

A idéia e a iniciativa de criar o novo órgão partiu da família Moratti, proprietária da Inter de Milão. Tudo começou com ngelo Moratti, sobrinho de Massimo Moratti, e contou com o apoio do ex-jogador argentino Osvaldo Ardilles.

Desde a criação do novo comitê, dezenas de estrelas do futebol internacional já se apresentaram para apoiar a iniciativa, como uma das melhores jogadoras de futebol do mundo, a norte-americana Kristine Lilly e o ex-jogador Teófilo Cubillas.

Os Jogos Olímpico Especiais, que reúnem um total de 2,5 milhões de atletas em 165 países, pretende que esta iniciativa conjunta com a Fifa beneficie mais de 300 mil jogadores com deficiência intelectual.

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, afirmou que o projeto Football for Hope, para jogadores de rua, passa agora a fazer parte do SOGF. "Era o que faltava para que o futebol estivesse sendo atendido de maneira completa dentro da entidade¿, declarou.