Torcida do Grêmio recepciona delegação do Boca Juniors

Portal Terra

RIO - Torcedores gremistas estiveram próximos ao Hotel Holiday Inn onde a delegação do Boca Juniors está hospedada, na madrugada desta quarta-feira, na capital Porto Alegre, e não deram sossego aos jogadores argentinos, buzinando e soltando fogos para provocar os atletas.

Chamados pelos torcedores de "foguetório" e "buzinaço", os gremistas não tiveram dó da equipe argentina e, mesmo com a Avenida Carlos Gomes, onde fica o hotel, bloqueada, a torcida do time tricolor permaneceu próxima ao local.

Por volta das 1h15 (de Brasília) a polícia militar precisou entrar em ação para dispersar os torcedores e tiveram que utilizar bombas de gás lacrimogênio e balas de borracha, mas não houve feridos e a avenida permaneceu bloqueada e com trânsito interrompido.

No entanto, a segurança das duas torcidas será feita por mil policiais que trabalharão no jogo desta quarta-feira. Além disso, haverá escolta feita pela Polícia Rodoviária e pela Brigada Militar, para os que vierem por terra desde a entrada no Rio Grande do Sul, a 600km.

A delegação do Boca Juniors chegou a Porto Alegre na noite de terça-feira, por volta das 20h (de Brasília) e as provocações dos gremistas começaram logo no aeroporto.

Mas para evitar o contato dos atletas com a torcida, a polícia determinou que o ônibus que conduziu a delegação do Boca para o hotel, pegasse os jogadores e a comissão técnica dentro da pista.

A decisão da Libertadores entre Grêmio e Boca acontece nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), no Estádio Olímpico.

Para ser campeão no tempo normal, a equipe gaúcha precisa vencer o Boca por mais de três gols de diferença, já que na partida de ida os argentinos venceram por 3 a 0. Caso vença pela mesma diferença de gols, a partida irá para a prorrogação e se o placar persistir, para os pênaltis.