Perto do 1º torneio oficial, Dunga relembra lesionados

Portal Terra

RIO - Restando 23 dias para estrear como técnico da Seleção Brasileira em uma competição oficial, o técnico Dunga relembrou os jogadores lesionados que iniciaram, com o próprio treinador, a carreira na equipe verde e amarela, mas acabaram ficando de fora da Copa América e da renovação pedida ao ex-volante.

Com menos de um ano sob o comando de Dunga, o time brasileiro passou por uma verdadeira revolução, com jogadores como Cafu e Roberto Carlos ficando longe de defender a equipe pentacampeã do mundo. Ao mesmo tempo, viu nomes novatos como Afonso, Jô, Alex Silva e Josué aparecerem como postulantes às vagas de titular do Brasil.

No entanto, muitos outros que tiveram suas primeiras chances com o atual técnico da Seleção, viram lesões encerrarem, por hora, a chance de se firmar no grupo e fortalecer a renovação proposta por Dunga na Seleção Brasileira.

- É bom lembrar-se dos machucados, né? Daniel Carvalho está em cirurgia, Lúcio também, Fred vem de lesão, (Rafael ) Sóbis, Júlio César e Luisão também. Porque senão falam que eu mudo muito o time, então é bom ver direito para não informarem algo que não convém com a realidade - conta.

- Mas dentro do meu período de trabalho eu tentei observar o maior número de jogadores possível, tinha que renovar uma Seleção, e para renovar tem que convocar jogadores novos e chamar pela primeira vez. Porque só assim, convocando e colocando para jogar é que se renova um grupo - completa o treinador.

Com menos de um ano no comando da equipe, Dunga sabe que o tempo não foi o ideal para consolidar mudanças e trabalhar todos os pontos que queria, mas sabe que todos os técnicos anteriores, em menor ou maior escala, passaram pelo mesmo problema.

- Eu acho que (o tempo) nunca é o ideal, né? Não é que é comigo, foi assim com outros treinadores também, talvez outros tiveram mais tempo e a possibilidade de observar mais jogadores, mas é aquilo que está à nossa disposição e a gente tem que trabalhar - diz.

Dunga só lamenta não ser possível colocar os mesmo jogadores para atuar mais vezes seguidas pela equipe verde e amarela, mas tenta aproveitar da melhor forma possível todos os amistosos que teve para testar e implementar um novo estilo de trabalho.

- Temos que dar oportunidades para os jogadores atuarem mais seguidamente na Seleção, porque o ideal seria cada jogador ter três partidas seguidas, mas isso é impossível na Seleção Brasileira. Por isso, o período que se tem aqui tem que ser aproveitado da melhor maneira possível - conclui.