FIA aumenta rigor de testes para verificar assoalhos de carros da F-1

Agência EFE

PARIS - A Federação Internacional de Automobilismo (FIA) enviou uma carta às escuderias participantes do Mundial da Fórmula 1 informando que aumentará o rigor dos testes para verificar se os assoalhos dos carros da categoria estão de acordo com as especificações estabelecidas pelo regulamento técnico. Até agora, até agora, nenhuma parte no assoalho do carro poderia ceder a uma força de até 500N (cerca de 50kg,f).

Após mudar a regulamentação sobre a verificação dos assoalhos dos carros motivada por uma carta enviada pela Mclaren depois da primeira prova da temporada, na Austrália, a FIA volta a mudar tudo para o Grande Prêmio da Espanha, em 13 de maio. Em Melbourne, a escuderia inglesa pediu um esclarecimento à FIA, comprovando que as escuderias Ferrari e BMW utilizavam apêndices aerodinâmicos que, sob uma forma superior a esta, se curvam, gerando um arrasto aerodinâmico menor no fundo do carro - e conseqüentemente melhorando a velocidade dos carros nas retas.

Após verificações técnicas nos GP da Malásia e do Barein, o comissário técnico da FIA, Charlie Whiting, não se mostrou muito favorável à inflexibilidade dos fundos planos. As equipes que utilizam os apêndices entre o fundo plano e o chassi argumentam que eles servem para evitar que o fundo do carro sofra danos quando sobe pelas beiradas da pista.