Diniz avalia Flu: "Equipe que mostra força, coragem e resiliência"

Técnico elogiou desempenho Tricolor no jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil

Em uma partida muito disputada e com decisão nos pênaltis, o Fluminense encerrou a participação na Copa do Brasil na noite desta quarta-feira (05), no Mineirão. Pelo jogo de volta das oitavas de final da competição, o Tricolor empatou com o Cruzeiro em 2 a 2, com gols de Ganso e João Pedro, e na cobrança das penalidades, os donos da casa venceram por 3 a 1. Mas para o técnico Fernando Diniz, o que ficou da boa apresentação do Time de Guerreiros foi a entrega e dedicação de todos dentro de campo.

ANÁLISE

Estou com um sentimento duplo, mas o maior é de orgulho, pelo que estamos conseguindo fazer com as condições que o Fluminense consegue oferecer hoje. E de frustração pela derrota, pelo que o Fluminense vem jogando, sistematicamente, não merecia sair desclassificado. Embora o Cruzeiro tenha feito um bom jogo, tem grandes jogadores e um ótimo treinador, pelo que foi o último gol, pelos riscos que corremos, merecíamos passar. Mas a vida, em muitas situações é injusta e cabe a gente levantar a cabeça e perseverar.

ELOGIO

O trabalho está sendo bem executado, os jogadores estão de parabéns. Pelas dificuldades que a gente está passando, os jogadores conseguirem produzir, e estão produzindo, poucos conseguiriam fazer o que eles fazem. Então, bato palmas para todos os jogadores do elenco, para os mais velhos, para os oriundos de Xerém, todos eles merecem os elogios.

MUDANÇAS

O time sai muito forte, é uma equipe que está mostrando força, coragem e resiliência para seguir na temporada. Hoje, do time titular do Fluminense que começou a temporada, tinha um só em campo que era o Luciano. Temos uma mudança constante de jogadores, o Everaldo que se destacou, a gente perdeu. O Ibañez, que era importante, foi vendido, o Digão com fratura, o Léo Santos lesionou o joelho, o Matheus Ferraz machucado. A gente tenta deixar o time mais forte, mas os problemas são muitos.

ESPETÁCULO

Eu gosto desse tipo de jogo, desse tipo de futebol, da valorização da bola, de ser um jogo atraente. Para mim, é um espetáculo, é entretenimento e tem que produzir efeitos positivos nas pessoas que assistem, tanto nos torcedores do teu time quanto nos adversários. Essa é a maneira que eu penso e tem a ver com a nossa cultura, com aquilo que as pessoas esperam do futebol.

GAROTOS

A gente está conseguindo usar bem os garotos, lançando não por conta só da necessidade, mas porque eles têm potencial. O João Pedro e o Marcos Paulo, e hoje até o próprio Miguel, eles entram porque eles são bons. Tem muita coisa boa que a gente vai colher, o trabalho está sendo realizado.

PÊNALTIS

O Pedro que é um batedor costumaz, todos os pênaltis que ele bateu, converteu. Se tivesse jogando, seria ele o batedor oficial. Os jogadores treinam, alguns treinam de maneira especial para a partida e não para a disputa. A gente treinou pênaltis, algumas bolas bateram na trave, todos sabem que o Fabio é um grande pegador de pênalti. Não tem muito segredo, alguns jogadores têm mais facilidade para converter e é seguir trabalhando.

- Com assessoria do Fluminense