Sem transmissão, jogo do Palmeiras impacta cadeia de negócios do futebol

Em um fato inédita há pelo menos 22 anos, os torcedores de Palmeiras e CSA não poderão assistir a uma partida do seu time no Campeonato Brasileiro pela televisão. As equipes se enfrentam nesta quarta (1º), às 16h, no estádio Rei Pelé pela segunda rodada do torneio.
A situação é resultado do impasse entre o clube alviverde e o Grupo Globo na negociação dos direitos de transmissão do Brasileiro para TV aberta e pay-per-view, mas atinge também toda uma cadeia de negócios que se formou ao redor das partidas do Brasileiro.
A própria CBF, clubes rivais, sites de estatísticas e rádios que costumam transmitir as partidas terão de se adaptar.
A Confederação Brasileira de Futebol, por exemplo, solicitou à Globo a geração de imagens para o VAR (árbitro assistente de vídeo). A emissora carioca fará a captação mesmo sem ter direito de transmissão e cederá as imagens à CBF. Procuradas pela reportagem, nenhuma das partes informou quem arcará com custos extras da operação.
A Globo disse apenas que mesmo sem poder transmitir as partidas do Palmeiras vai continuar fazendo a cobertura jornalística do clube.
"O Palmeiras continuará tendo espaço constante no globoesporte.com e nos programas esportivos da TV Globo e do SporTV", afirmou.
A TNT também fará a captação das imagens do jogo. Assim como a Globo, o canal do grupo Turner poderá veicular depois da partida os melhores momentos e os gols do duelo, desde que as imagens não excedam até 3% do total do tempo do evento, conforme determina a Lei Pelé.
A ausência dessa partida na TV causará, ainda, uma lacuna em sites que fornecem estatísticas para a mídia especializada e torcedores. O Footstats, por exemplo, um dos principais sites do segmento no futebol brasileiro, não vai divulgar dados do jogo.
"Esse jogo não existirá para nós. Fazer ao vivo é fora de cogitação. Estamos de mãos amarradas", disse José Eduardo, fundador do site. "Sem a imagem, não conseguimos fazer nada. Nós temos um teclado especial para inserir os dados. Não resolveria só mandar o pessoal ao campo", afirmou.
Já analistas de desempenho dos demais clubes que disputam a competição esperam contar com imagens cedidas pelo CSA, clube da casa.
"Na véspera de enfrentar um rival, temos um analista que assiste ao jogo in loco. Mas utilizamos os vídeos para montar as preleções, as conversas individuais com os jogadores. Para este jogo contra o Palmeiras não teremos isso", disse Maurício Dulac, auxiliar técnico do Inter, próximo adversário do Palmeiras na competição nacional.
"Quando isso acontece [ausência de transmissão], os analistas entram em contato com os profissionais do outro clube, no caso o CSA, para ver se eles possuem o vídeo com a câmera aberta. Se o CSA não tiver, podemos ficar somente com as informações de imagem do penúltimo jogo do Palmeiras", acrescenta.
A falta de transmissão de TV também causa problemas para as rádios de São Paulo que desejam transmitir a partida. Deslocar-se até Alagoas será a única alternativa para as emissoras. Até o início desta terça-feira (30), porém, nenhuma das principais rádios da capital pretendia ir até Maceió para transmitir o duelo.
Devido aos custos operacionais, é comum que emissoras de rádio façam transmissões esportivas acompanhando o jogo pela TV e contem apenas com um repórter no local.
Inicialmente, elas optaram pelo jogo entre Corinthians e Chapecoense, também às 16h, em Itaquera. Após a publicação de reportagem no site da Folha de S.Paulo, sobre a ausência das rádios paulistanas, a Transamérica decidiu enviar uma equipe para o local do confronto.
"Queria sentir a temperatura da primeira rodada para definir a escala. A princípio, não trabalhávamos com a possibilidade de transmitir esse jogo, mas após a vitória do Palmeiras e a derrota do Corinthians, resolvemos mudar. O torcedor palmeirense está empolgado", disse Eder Luiz, responsável pelo departamento de esportes da rádio.
Até então, o jogo só poderia ser acompanhado ao vivo por rádios de Alagoas e pela descrição em portais na internet e pelas contas dos clubes em redes sociais.
Para a sequência do campeonato, os executivos das rádios planejam investir mais na transmissão das partidas sem exibição na televisão para atrair a audiência.
"Vamos fazer uma adaptação ao orçamento. Eu acho legal até, vendo pelo lado do rádio, porque a torcida do Palmeiras terá de acompanhar assim", disse Fábio Luiz França, coordenador de esportes da Band News FM.
Apesar de o Palmeiras ter contrato com o grupo Turner, do canal TNT, para transmissão de seus jogos em TV fechada, a partida contra o CSA não poderá ser exibida porque o clube rival tem acordo com o Grupo Globo. Pela Lei Pelé, para que um jogo seja exibido, a emissora precisa da anuência dos dois clubes em campo.
O Grupo Globo chegou a acordo com 19 dos 20 clubes da Série A para transmissão do Brasileiro em TV Aberta. Já para exibição em pay-per-view, a empresa ainda negocia com Athletico-PR e Palmeiras.
O impasse fará com que 74 dos 380 jogos do torneio deixem de ser exibidos no sistema pago. Desses, 26 jogos (todos do Palmeiras contra os 13 times que assinaram com o Grupo Globo para TV fechada) ficarão fora de todas as plataformas disponíveis de transmissão. O desta quarta será apenas o primeiro deles.