Flamengo vê conversa avançada com Jorge Jesus e detalha reforços

De volta do "mochilão europeu", o vice-presidente de futebol do Flamengo, Marcos Braz, concedeu entrevista coletiva nesta sexta-feira (31) no CT Ninho do Urubu. O dirigente admitiu as conversas avançadas com o português Jorge Jesus, rechaçou as especulações sobre José Mourinho e detalhou a situação dos reforços pretendidos pelo clube.

Braz confirmou o encontro entre Jorge Jesus e o presidente Rodolfo Landim. Os dois estarão em Madri para a final da Champions League entre Liverpool e Tottenham. Será a oportunidade para discutirem a questão contratual na expectativa de que o acordo seja fechado.

"É verdade o encontro que o Jorge Jesus disse. Ajustamos até pelo fato de ter que vir ao Brasil. Aproveitando a oportunidade que o Landim está na Europa, que é o presidente, nada mais natural que uma possível contratação deste nível seja conduzida pelo presidente", afirmou.

Questionado sobre as especulações de que o também português José Mourinho estaria na mira do Flamengo, Marcos Braz respondeu.

"Não existe nada. O Flamengo não estava atrás dele, de B, C, D. Estávamos no mercado. Como foi feito um contato com o Mourinho em 24 horas? Nunca foi procurado", garantiu.

O vice de futebol passou 15 dias na Europa negociando com possíveis reforços do Flamengo. Um, pelo menos, já está certo. O lateral-direito Rafinha assinará contrato por dois anos e aguarda o "ok" do Bayern de Munique para ser anunciado pelo clube.

"Todo mundo sabe que principal alvo era o Rafinha. As conversas se intensificaram bem por lá, estive com ele quase uma semana direto. Tudo certo, não posso dar detalhes em relação a essa contratação. O jogador ainda tem contrato lá, uma história bonita, vamos respeitar todos os passos", afirmou.

Sobre a zaga, Jemerson e o colombiano Zapata são os alvos. O primeiro, inclusive, tem os detalhes acertados para um empréstimo com extensão de contrato com o Monaco. Mas a situação está em compasso de espera.

"Esses dois jogadores procedem, estou confirmando, aqui a gente não mente. É um ou outro, o Flamengo terá calma. A gente entende que precisa contratar para reforçar ainda mais o elenco. Teremos quatro jogos e o prazo para fazer as contratações", comentou.
No que envolve a conversa com Filipe Luís, Braz deixou claro que foi franca e o jogador pediu um tempo para pensar.
"Apresentamos o mesmo projeto do Rafinha. Não é só troca de clube, é decisão de vida. Tinha uma convocação da seleção brasileira, e ele pediu um prazo. O prazo foi dado, assim como foi dado ao Rafinha", afirmou.
ABEL BRAGA
Na entrevista coletiva, Marcos Braz também foi questionado sobre o técnico Abel Braga, que saiu do clube atacando os dirigentes pela suposta falta de respaldo. O vice-presidente virou a página envolvendo o treinador, mas fez questão de esclarecer alguns pontos na ótica do clube.
"Acho que ele teve o apoio de todos da comissão técnica. Quanto a mim, quando ele quis pôr A, B ou C, sempre teve respaldo. Muitas vezes não concordando, mas eu quietinho, respeitando trabalho e a posição que é soberana de qualquer treinador. Até a nota oficial sobre a Florida Cup, Estadual foi para protegê-lo. Não estou aqui concordando ou discordando, a nota foi dada pelo clube, tendo meu respaldo ou não estou junto", afirmou.
"Entendo o desconforto do Abel, lamento, mas não é o primeiro nem o último treinador a sair de um clube chateado, magoado com a diretoria, achando que possivelmente a torcida fez cobranças mais fortes. A gente tem respeito pelo profissional que é, mas vida que segue. Não vou falar mais desse assunto depois de hoje, é página virada esse assunto do Abel", encerrou.