Lega Serie A condena episódios racistas da torcida da Lazio

A Lega Serie A, que comanda a principal divisão do futebol italiano, "condenou" nesta quinta-feira (25) os "episódios de racismo" realizados no confronto de ontem (24) entre Lazio e Milan, no San Siro, pela Copa da Itália. Na ocasião, os torcedores da Lazio entoaram cânticos racistas contra o volante do Milan, Tiémoué Bakayoko, como "esta banana é para Bakayoko". Além disso, seu companheiro de equipe, Franck Kessié, que também é negro, foi vaiado por diversas vezes.


As ofensas seriam uma resposta dos torcedores do time da capital contra a celebração do jogador francês e do companheiro de equipe marfinense, na qual a camisa do zagueiro Francesco Acerbi foi exibida como um troféu. O episódio aconteceu após uma vitória do Milan sobre a Lazio, pela Série A.


Momentos antes da bola rolar no San Siro, outros ultras estenderam uma faixa que faz apologia a Benito Mussolini na Praça Loreto, símbolo da Resistência italiana.
"A Lega Serie A condena com firmeza os episódios de racismo ocorridos. Não é aceitável ter que ouvir nos nossos estádios agressões verbais de intolerância e faremos tudo ao nosso alcance para combater tais eventos", escreveu a entidade. Além disso, a Lega Serie A pediu para as autoridades italianas "punir os responsáveis" pelos episódios racistas.


A polícia do país já identificou pelo menos oito de cerca de 29 torcedores organizados da Lazio que participaram da homenagem a Mussolini. Segundo as autoridades, entre os identificados está Claudio Corbolotti, um dos líderes da Irriducibili, nome da principal e mais agressiva torcida organizada do clube da capital. Em campo, a Lazio bateu o Milan por 1 a 0, com um gol de Joaquín Correa, e se classificou para a final da Copa da Itália. Na decisão, o time biancoceleste enfrentará Atalanta ou Fiorentina.