Higuaín deixa seleção argentina triste e ressentido

O artilheiro Gonzalo 'Pipita' Higuaín disse adeus nesta quinta-feira à seleção argentina por entender que seu ciclo chegou ao fim, embora tenha feito uma ironia ao afirmar que o anúncio será "uma alegria para muitos".

"Acho que já deu, meu ciclo na seleção já está encerrado. Para a alegria de muitos e de outros não tanto, meu ciclo acabou, como disseram outros companheiros", disse o artilheiro que foi durante anos alvo de críticas de torcedores e jornalistas.

Higuaín figura na lista dos maiores artilheiros da história da seleção argentina, com 31 gols. Mas teve o azar de jogar em uma era marcada pela seca de títulos, a perda de finais e as eliminações precoces.

"Não precisam mais se preocupar se estou na seleção ou não. Podem se preocupar com os que estão ou virão para o bem da seleção. Quero aproveitar minha família", disse o jogador do Chelsea em declarações ao canal Fox Sports.

Com a camisa argentina, Higuaín perdeu três finais: a da Copa do Mundo do Brasil-2014, a da Copa América Chile-2015 e a da Copa América Centenário EUA-2016. Sua seleção foi eliminada prematuramente na Copa do Mundo da África do Sul-2010, na Copa América da Argentina-2011 e a Copa do Mundo da Rússia-2018.

Em vários dos jogos importantes que poderiam ter mudado a história, ele perdeu gols ou chutou para fora algum pênalti decisivo. Os torcedores não perdoaram.

Perguntado se sua passagem pela 'albiceleste' foi um fracasso, 'Pipita' respondeu: "Acho que fracassar é outra coisa. Não conseguir os objetivos, não chegar aos processos, não se classificar para uma Copa do Mundo mas não perder três finais".

"Também aproveitei momentos na seleção. As pessoas só prestam atenção nos erros, não dos acertos. Aqueles que me criticaram com certeza vibraram com o gol que marquei contra a Bélgica que nos classificou para a semifinal (na Copa de 2014). O futebol é assim", disse resignado.

Mais de uma vez, Higuaín sofreu com deboches e memes nas redes sociais. "Ás vezes se perde o respeito com o que a pessoa faz. Obviamente que todo mundo sofre quando é criticado com maldade. Eu dei tudo de mim na seleção. Minha família sofreu mais".

Higuaín nasceu na França quando seu pai, o ex-zagueiro Jorge Higuaín, jogava no país. Apesar das derrotas com a seleção, teve excelentes desempenhos e ganhou vários títulos com o Real Madrid, Juventus e Napoli.

Na última convocação feita pelo técnico Lionel Scaloni para dois amistosos, um com a Venezuela e outro contra Marrocos, não foi chamado.

dm/cl/aam