Sina dos gols no apagar das luzes atormenta Abel

Abel Braga trouxe para o Flamengo uma sina que vem carregando desde sua passagem pelo Fluminense, entre 2017 e 2018: levar gols nos minutos finais de clássicos. O treinador tem um histórico de eliminações e empates com sabor amargo nos momentos derradeiros.

Essa dura escrita começou quando Abel dirigia o Fluminense. No segundo jogo da final do Carioca de 2017, o Flu levava a decisão para os pênaltis até ceder o empate aos 40 do segundo tempo com gol de Guerrero e ter a derrota sacramentada com gol de Rodinei que dois anos depois ajudaria a manter a sina perdendo gol incrível contra o Vasco.

No mesmo ano mais uma vez o Fla seria a pedra no sapato duas vezes, com dois empates: no primeiro turno do Brasileiro com gol de Trauco aos 50 do segundo tempo e na Sul-Americana, quando estava vencendo por 3 a 1 e cedeu a igualdade que lhe valeu a eliminação com gol de Arão aos 39 da segundo etapa.

Em 2018 a sina também deu as caras. O Flu se classificava para a final estadual até os 48 do segundo tempo, minuto em que levou o gol de Fabrício que classificou o Vasco.

A escrita se mantém forte em 2019 com Abel à frente do Flamengo. Sofreu duas vezes com gols no fim do jogo. Contra o Fluminense, que resultou na eliminação da Taça Guanabara, e contra o Vasco no último sábado, pela terceira rodada da Taça Rio.