"Lá tudo precisa ser diferente", projeta técnico do Fla para a estreia na Libertadores

Abel concedeu entrevista após a vitória, de 4 a 1, pelo Carioca, contra o Americano

Neste domingo (24), o Flamengo venceu o Americano por 4 a 1 e largou bem na Taça Rio, segundo turno do Campeonato Carioca. Com dois gols de Vitinho, um de Gabriel Barbosa e um de Diego, o Fla conseguiu desempenho de destaque e foi elogiado por Abel Braga, comandante rubro-negro.

Macaque in the trees
Abel Braga (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)

Após a partida, o técnico concedeu entrevista coletiva no Maracanã, falando sobre a atuação na partida. “Começamos muito bem do lado esquerdo e vi boas movimentações. No segundo tempo decidi inverter o Vitinho e o De Arrascaeta, isso funcionou bem. O papo do intervalo foi falando da intensidade, como jogamos no campo deles. Mas comentei que já poderíamos ter liquidado o jogo. Só pedi para capricharem na última bola, no passe final. Fizemos isso e funcionou bem. Também estou muito feliz com a zaga, adorei a atuação do Léo (Duarte). Se analisar o gol deles, a bola bateu na cabeça do Rodinei e entrou. Se todo jogo fizemos quatro gols e levarmos um na única chance que criarem, estou satisfeito. O confronto passado (contra o Fluminense) fugiu do normal. Se for sempre esse percentual, vou adorar. Não é nada mal isso”, analisou Abel.

Ele ainda aproveitou para enaltecer os atletas que tiveram bons desempenhos. “O importante é que o De Arrascaeta está se adaptando. É um cara diferenciado, ficamos contentes observando ele. O Orlando Berrío vem treinando bem, o Dourado também. O Berrío pode ser uma aposta para o jogo lá fora (da Libertadores), é um cara que tem uma característica que ajuda muito. Por ser colombiano, já jogou muito em altitude, o que é benéfico. Falei para o Gabriel que ele marcaria antes da partida começar. Falava para que ele ficasse tranquilo. O jogador às vezes entra em campo ansioso e se acha responsável por situações que não correm bem, achando que podia dar mais. Foi bom que aconteceu hoje, participou de situações do jogo. Para ele foi bom e pra equipe também”, disse.

O treinador ainda comentou sobre a estreia na Conmebol Libertadores, que já será na próxima semana contra o San José em Oruro. “Sabemos que lá tem uma situação atípica que é a altitude. Não comento com os jogadores sobre isso pois começa a colocar coisa na cabeça deles. A logística está pronta e espero que a gente consiga fazer um bom jogo. Lá tudo precisa ser diferente. Vamos treinar na véspera em um lugar próximo, mas não adianta achar que vai resolver todos os problemas. Quando se fala em Libertadores, é uma coisa que se quer muito, muito importante. Não se pode criar uma ansiedade achando que vai ganhar de qualquer maneira. É difícil uma equipe suportar a pressão que fizemos hoje. Vamos ter que diminuir por causa do ar, mas estamos prontos para fazer um bom jogo”, afirmou o rubro-negro.

Por fim, Abel Braga lembrou de como a tragédia no Ninho do Urubu afetou o elenco. Ele lembrou da vontade de vencer que todos estavam no embate contra o Fluminense, comentando a importância da vitória contra o Americano. “A energia estava baixa e eles precisavam muito dessa vitória. Pelo calor que estava fazendo, não esperava essa intensidade. Eles conseguiram manter o ritmo por muito tempo. A vitória não tem só o valor dela, dos pontos. É o reencontro de muitas coisas. Os caras são seres humanos. Tem uma cobrança grande pelo tamanho do Flamengo. Por tudo que aconteceu, eles sentiram muito aquela eliminação. O jogo demorou, foram 12 dias desde aquela partida. A vitória foi justa”, concluiu.

O Flamengo volta a campo na próxima quinta-feira (28), às 21h, contra a Portuguesa em Volta Redonda. A partida é válida pela segunda rodada da Taça Rio.

Com site oficial do Flamengo