Messi é o que basta para o Barcelona

O Barcelona esteve atrás do placar por duas vezes. Superado no primeiro tempo, pouco acertava no ataque e dava espaços de sobra para contra-ataques de um time que sabe jogar dessa maneira. O craque, o camisa 10, ainda sem ritmo desde que havia voltado de lesão, chegou a perder a bola que originou o primeiro gol do adversário.

Mas quem tem Messi tem quase tudo. Após falhar no lance em que Jesús Navas abriu o placar para o Sevilla, aos 22, o argentino precisou de apenas quatro minutos para deixar tudo igual com um voleio no ângulo. Aos 42, no entanto, Mercado devolveu a merecida vantagem aos donos da casa.

Macaque in the trees
Erguido por Dembélé, Messi celebra seu segundo gol na partida contra o Sevilla, o de empate (Foto: Jorge Guerrero/AFP)

O intervalo foi crucial para Ernesto Valverde ajustar a equipe e permitir que a estrela maior da companhia cuidasse do resto. Em saída errada, aos 22 da etapa final, o goleiro Vaclík deu a bola nos pés dos catalães. Para piorar, Messi ficou sozinho na entrada da área. Com a perna direita, que não é a boa, anotou mais um golaço.

A partida já se encaminhava para o final, mas a tensão rondava o Ramón Sánchez-Pizjuán diante dos estragos que Messi ainda poderia causar. E não deu outra. Já aos 40, a bola desviou na zaga e sobrou quase paralisada na pequena área para o argentino dar a cavadinha que lhe é característica e aproximar o Barcelona da vitória.

Ainda deu tempo para o craque resgatar a moral de Suárez com uma bela assistência para o uruguaio, aos 48, que sacramentou o resultado. O Barcelona chegou a 57 pontos, dez a mais que o Atlético de Madrid, que recebe hoje o Villarreal às 12h15. Logo atrás, com 45, o Real Madrid visita o Levante às 16h45.

Na Inglaterra, Chelsea e Manchester City decidem às 13h30 o título da Copa da Liga. Pelo Inglês, às 11h05, Manchester United e Liverpool fazem clássico.