Hora de pensar grande

A busca pelo Carioca parou na semifinal. A caminhada na Copa do Brasil não foi muito longa. No Brasileiro, meio da tabela. O roteiro do Fluminense vem se repetindo nos últimos anos, na média que um clube com as finanças em frangalhos permite. Mas uma competição representa a grande chance de mudar essa realidade
modesta: a Copa Sul-Americana. Nas quartas de final pela segunda vez consecutiva, o time recebe hoje o Nacional do Uruguai, às 19h30, no Nilton Santos.
“Esperamos um jogo difícil, temos que ter inteligência. Conversamos internamente, acreditamos que eles vão vir fechados, jogando por uma bola. Temos que ter ciência que são dois jogos e vamos estar preparados para fazer uma boa partida”, projetou Luciano, autor do gol da vitória tricolor sobre o Atlético-MG no último domingo.
Depois de muitas variações, Marcelo Oliveira encontrou o time ideal com três zagueiros. Em sete jogos desde que adotou de vez a opção, o Fluminense venceu cinco e perdeu dois. Marcou 11 gols e sofreu apenas cinco — três deles no Fla-Flu. Essa será mais uma vez a aposta para tentar vencer sem ser vazado em casa, fundamental em uma competição com o critério do gol fora de casa.
E há motivos de sobra para acreditar que a missão é totalmente possível. Afinal, dos 11 triunfos (em 22 partidas) sob o comando de Oliveira, em nove a defesa passou em branco. O histórico em casa na Sul-
-Americana também inspira bastante otimismo. Nas três fases anteriores, apenas resultados que deixariam o torcedor tricolor bastante satisfeito no confronto de hoje.
Diante do Nacional Potosí, ainda com Abel Braga, a goleada de 3 a 0 deixou a vaga na segunda fase encaminhada. Depois, contra o Defensor, triunfo por 2 a 0,
placar repetido nas oitavas, sobre o
Deportivo Cuenca.
Além do bom desempenho defensivo recente, Fla-Flu à parte, o ataque vem sendo comandado pela dupla Everaldo e Luciano. Esse último, por sinal, conseguiu amenizar a ausência por lesão de Pedro, fora desde o fim de agosto. Autor de quatro gols nas últimas oito partidas, o atacante tem ambições mais altas.
“Sabia do Pedro, de outros bons atacantes, mas cheguei para brigar, para jogar. Espero que o Pedro volte o mais rápido possível, é um centroavante de seleção. Estou aqui para isso, para ser cobrado, fazer gols”, declarou Luciano.
Fluminense: Júlio César, Ibañez, Gum e Digão; Léo (Dodi), Richard, Jadson e Ayrton Lucas; Sornoza, Luciano e Everaldo. Nacional: Conde, Fucile, García, Rolín (Erramuspe) e Espino; Zunino, Romero,
Oliva e Castro; Bergessio e Fernández (Barcia). Juiz: Patricio Lostau (Argentina).

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais